Dance Coolture do Barreiro vencem segunda edição do STB Dance Allstars

COMPETIÇÃO. Nove das melhores crews de street dance do país actuaram no palco do Fórum Municipal Luísa Todi
Sociedade B Últimas C

O grupo subiu do terceiro lugar na primeira edição para o primeiro lugar e teve a melhor bailarina da noite, eleita pelo júri entre mais de 100 jovens. Competição organizada por Bruno Abreu reforça argumentos como “um dos maiores eventos de dança urbana da Margem Sul”, com o apoio do município

 

O grupo Dance Coolture, do Barreiro, venceu a segunda edição da competição de street dance STB Dance Allstars, organizada pelo bailarino e produtor setubalense Bruno Abreu, num espectáculo que levou a plateia do Fórum Municipal Luísa Todi ao rubro, na noite de sábado, 30 de setembro. Setúbal fez-se representar em palco com uma actuação extra-concurso, depois de na primeira edição ter ficado de fora.

O grupo de hip hop do Barreiro competiu em palco com outras das oito melhores crews de dança do país e conquistou o júri – composto pelos bailarinos e coreógrafos Vasco Alves, Cesariny e Fábio Krayze – com uma coreografia assinada por Sérgio Alegria. Ao DIÁRIO DA REGIÃO, o porta-voz dos Dance Coolture afirmou que o nível de competição “esteve melhor do que no ano passado” e que a vitória foi “inesperada”, mas que o “objectivo era ganhar”. “Trabalhamos sempre para ganhar, muitas horas por semana, quase todos os dias”.

Os jovens bailarinos, com idades entre os 16 e os 26 anos, ganharam um prémio de 1500 euros, que agora “vai para o banco” para financiar uma futura viagem aos Estados Unidos da América, para participarem no Hip Hop Internacional. Essa é uma das muitas competições que os cerca de cem elementos de vários escalões etários têm já no currículo, entre outros títulos internacionais e ibéricos.

Sérgio Alegria frisa, contudo, que a falta de apoios e de valorização da dança continuam a ser um problema para quem ambiciona construir carreira na dança urbana em Portugal. “As artes em geral estão muito apagadas e especialmente a dança, e o hip hop, ainda é vista como uma dança de marginais. Estes eventos é que fazem com que as pessoas saiam de casa e vejam que isto é mais do que dar uns toques e ser marginal, é trabalho. É uma vida”, desabafou, entre dezenas de jovens, à saída do Fórum Municipal Luísa Todi.

A equipa do Barreiro viu também Carolina Mendes ser eleita pelo júri a melhor bailarina da noite, entre os mais de 100 bailarinos das nove crews que se apresentaram no palco. A jovem, de 20 anos, mostrou-se “muito feliz” pela distinção, considerando-a um “reconhecimento” do trabalho feito  e “um bom incentivo” para toda a equipa.

O melhor bailarino da noite foi por sua vez José Santos, de 25 anos e um dos elementos dos The Bling Crew, de Matosinhos, vencedora da primeira edição do STB Dance Allstars. “É o reconhecimento do nosso trabalho por parte do júri e mesmo que não o recebesse, seria sempre um incentivo. A minha ambição é fazer carreira na dança, por isso estou a investir em mim e vou tentar ser professor”, contou. Os melhores bailarinos da noite ganharam ambos um prémio monetário de 100 euros.

A cidade de Setúbal, que o ano passado não esteve representada na competição organizada por Bruno Abreu com o apoio da câmara municipal, fez-se representar desta vez com um showcase da Beat Crew, a abrir o espectáculo. Mas o produtor setubalense, que apresenta a grande maioria dos campeonatos de hip-hop em Portugal e selecciona as equipas que mais se destacaram nacional e internacionalmente, quer uma participação mais destacada: “Precisamos de um grupo de Setúbal que esteja presente nos campeonatos de que se destaque”, incentivou Bruno Abreu.

Na luta pelo primeiro prémio do STB Dance Allstars estiveram ainda os grupos The Bling Crew (Matosinhos), All About Dance Troupe (Santa Maria da Feira), G-Sparks (Faro), N Funky Rooster (Barcelos), Feel It Crew (Sintra), Mg Boos (Quinta do Conde), DLA Squad (Arruda dos Vinhos) e JD Crew (Leça da Palmeira).

O evento, que teve este ano como embaixadores a actriz e cantora Luciana Abreu e o músico Filipe Gonçalves, contou também com demonstrações de dança pelas formações Ml Roots (Matosinhos e Leça da Palmeira), Natural Skillz e Cesár Nusik (ambas de Oeiras), Beat Crew (Setúbal) e Star Fyah (Montijo). Toda a componente musical esteve a cargo de Tiago Fernandes, mais conhecido por DJ Shark, de Lisboa.

O STB Dance Allstars foi criado com o objectivo de promover junto do público sadino os vários estilos de street dance – como o popping, locking, bboying, new style, house, hip hop e dance hall –, criando “um dos maiores eventos de dança urbana da Margem Sul”, numa espécie de final de época das competições nacionais de hip hop.

A competição, cuja primeira edição se realizou no âmbito de Setúbal Cidade Europeia do Desporto, tem o apoio da câmara municipal numa estratégia de continuidade. “Temos tentado apoiar ao máximo, trazer eventos de fora, mas sobretudo promover a formação em Setúbal. Pela adesão do público e pela movimentação de pessoas que traz, iremos propor que a iniciativa se mantenha”, revelou Ana Carvalho, chefe da Divisão de Cultura, ao DIÁRIO DA REGIÃO.

O evento dinamizou ainda um conjunto de workshops conduzidos pelos jurados, no ginásio do Vitória Futebol Clube, sábado de manhã. À noite, depois do espectáculo, a festa continuou com um convívio no bar Roof61, localizado no sexto piso do Fórum Municipal Luísa Todi.

Percorra a fotogaleria abaixo para ver fotografias do evento.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotografias: Wilson Sanches

Deixe uma resposta