ALCOCHETE | PS reergue-se das “cinzas” e soma terceiro triunfo da história [actualizado]

Fernando Pinto apontou o caminho para a vitória
Local Últimas B

Fernando Pinto conduziu o PS à terceira vitória da história do partido no concelho de Alcochete. Um triunfo arrancado a ferros, se atentarmos na maioria relativa assente numa diferença de 190 votos para a segunda força política mais votada, a CDU. Um resultado que ganha relevo maior não só por romper com um ciclo de três mandatos consecutivos da CDU, mas, acima de tudo, por ser conseguido em cima da pior votação de sempre do PS no concelho, registada precisamente no anterior acto eleitoral, em 2013, quando os socialistas não foram além dos 1.203 votos.

No último domingo, Fernando Pinto conseguiu multiplicar por três o único eleito que representou o partido no executivo camarário no mandato 2013-2017 – o PS só havia passado por situação idêntica, com apenas um assento na vereação, em… 1979, quando somou 1.523 votos. Ou seja, o socialista reergueu o partido das “cinzas” e (re)colocou-o, cerca de 12 anos depois, na liderança da Câmara, ainda que com uma maioria relativa (três eleitos, em contraponto com os dois da CDU e outros tantos da coligação CDS/PSD).

O PS venceu com 2.856 votos, cortando com um passado recente de dois mandatos consecutivos (de 2009 a 2017) em que a CDU governou com cinco elementos na composição do executivo camarário. Os socialistas ganharam a Assembleia Municipal e apenas uma das três juntas de freguesia (São Francisco): na freguesia de Alcochete o triunfo sorriu à CDU por 21 votos de diferença para o PS, tal como se verificou na freguesia do Samouco, mas por margem maior, 150 votos.

Em termos de número de votos, este acabou por ser o segundo melhor resultado da história do PS em Alcochete, só suplantado pelo resultado registado em 2001, quando os socialistas alcançaram maioria absoluta com 3.009 votos, vencendo em toda a linha (Câmara, Assembleia Municipal e as três freguesias do concelho). Em 1976, recorde-se, o PS saiu vencedor com 2.380 votos, que lhe valeram três eleitos contra dois da então denominada FEPU (2.258 votos).

Cabeças-de-lista à Assembleia Municipal e à freguesia com mais votos no Samouco

A votação em Fernando Pinto para a Câmara só não foi superior ao total dos votos dos cabeças-de-lista socialistas às assembleias de freguesia, bem como aos números registados pelo candidato à Assembleia Municipal na freguesia do Samouco e pelo cabeça-de-lista a este território.

No total, os cabeças-de-lista do PS às assembleias de freguesia somaram 2.867 votos; para a Câmara o partido registou 2.856 (menos 11 votos); e para a Assembleia Municipal 2.830.

Na freguesia de Alcochete, o cabeça-de-lista Artur Organista ficou em segundo lugar com 1.818 votos, Fernando Pinto (Câmara) registou 1.909 e Mário Catalão (Assembleia Municipal) somou 1.881 votos. Natacha Patinha, candidata pela CDU, ganhou a presidência da Junta, assegurando a manutenção desta força política no poder do referido órgão, mas agora com maioria relativa.

Na freguesia de São Francisco, o cabeça-de-lista João Manuel Santos venceu com 376 votos, Fernando Pinto obteve 395 e Mário Catalão 393 votos.

Por último, na freguesia do Samouco, o cabeça-de-lista Leonel Fina ficou em segundo lugar com 564 votos, Fernando Pinto contabilizou 552 e Mário Catalão 556 votos. Samouco acabou por ser a única freguesia onde Fernando Pinto não conseguiu superar os resultados registados pelo partido, quer para a Assembleia Municipal quer para a respectiva Junta.

Pedro Jorge Ferreira, candidato pela CDU, venceu a eleição para esta assembleia de freguesia. Tal como Natacha Patinha, estreou-se como cabeça-de-lista, mas com melhor resultado: alcançou a única maioria absoluta registada no concelho.

Deixe uma resposta