Motoristas dos Transportes Colectivos do Barreiro avançam com uma greve de dois dias

Local C Últimas

O Sindicato Nacional dos Motoristas (SNM) anunciou hoje uma greve de 48 horas nos dias 30 de Setembro e 1 de Outubro nos Transportes Colectivos do Barreiro (TCB).

O SNM, em comunicado, refere que os motoristas vão avançar com a greve para demonstrarem o seu “descontentamento” face às discriminações salariais e por serem “obrigados” a despenderem do seu tempo nas deslocações durante o serviço.

Para o SNM é “inadmissível que existam Motoristas de Serviços Públicos a ganharem o ordenado mínimo nacional” e receberem cerca de 230 euros mensais a menos do que os motoristas do sector privado, para fazerem “exactamente as mesmas funções”.

O SNM salienta também que, a estes trabalhadores lhes tem “sido negado o direito às suas deslocações durante o serviço, pois os TCB não contemplam no horário de trabalho o tempo necessário para efeitos de deslocações entre o início do serviço e o seu termo”.

Em declarações à Lusa, Rui Lopo, vereador da Câmara Municipal do Barreiro e com responsabilidades nos TCB, lamentou que o sindicato tenha efectuado a última reunião com a autarquia em Março, quando foi assinado em Agosto um acordo que repõe direitos aos trabalhadores.

“A nível da remuneração é o que está definido na administração pública. Nós gostaríamos e defendemos um aumento do salário mínimo, mas temos que cumprir a lei”, referiu.

Em relação aos tempos de deslocação serem incluídos nos horários, Rui Lopo afirmou que o sindicato já colocou uma acção em tribunal e que não lhe foi dada razão e lembrou que está a ser feito o maior investimento nos TCB, 18 milhões de euros para renovação total da frota.

One comment

  1. Mais uma demonstração da falta de ética e sentido democrático ao marcarem uma greve de 48h, coincidido com as eleições autárquicas, não está em causa a justeza da vossa greve o lutarem por melhores salários, mas sim a oportunidade da mesma pois com tantos plenários efectuados ao longo do ano houve mais que tempo para marcarem a dita greve,mas enfim a ditadura dos sindicatos põe e dispõe da vida e do bem estar da população muito idosa e não só com problemas em se deslocar não olhando a meios e,volto a enumerar não está em causa o direito a lutarem por melhores condições de vida, mas sim a data escolhida.
    Cumprimentos
    Carlos Valério

Deixe uma resposta