Oito candidatos disputam Câmara de Setúbal governada pela CDU desde 2001

Op Autárquicas 2017 Regional B Últimas B

Há quatro anos a CDU teve 41,93% dos votos (seis eleitos), o PS 26,41% (quatro eleitos) e a coligação PSD/CDS-PP 12,85% (apenas um vereador eleito)

Oito partidos apresentam candidatos à Câmara de Setúbal, governada há oito anos pela comunista Maria das Dores Meira, eleita pela CDU – coligação PCP e Os Verdes e que volta a tentar ganhar as eleições.
Os candidatos do PS e do PSD querem quebrar a governação da CDU em Setúbal, que leva 16 anos, e acusam a presidente de responsável pela dívida do município.
Fernando Paulino (PS) e Nuno Carvalho (PSD) têm sido bastante críticos da actual maioria comunista, que responsabilizam também por não querer baixar o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI).
Entre outros, os socialistas pedem mais atenção às pessoas, designadamente aos mais desfavorecidos, enquanto o PSD reclama um melhor aproveitamento da zona ribeirinha de Setúbal.
Pela CDU, a candidata Maria das Dores Meira promete continuar a requalificar as zonas ribeirinhas que não são utilizadas pela Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, a construção de baías de retenção de águas na zona da várzea, para reduzir o risco de inundações na baixa da cidade e melhorar as acessibilidades às praias da serra da Arrábida se for reeleita.
Por seu lado, a candidata do CDS-PP, Ana Clara Birrento, promete trabalhar em prol de uma cidade “sustentável e alicerçada em actividades de mar e de serra” e “mais inclusiva”.
Há quatro anos, CDS-PP e PSD concorreram à Câmara de Setúbal em coligação, mas o resultado final foi a eleição de apenas um vereador.
A deputada e cabeça de lista do BE às eleições autárquicas para a Câmara de Setúbal, Sandra Cunha, que definiu como prioridades o combate à exclusão social e a melhoria da mobilidade no concelho, vai tentar a eleição do primeiro vereador para a Câmara de Setúbal, partindo de uma base de pouco mais de 5% dos votos obtidos em 2013.
As candidaturas do PAN, liderada por Luís Teixeira, e do PCTP/MRPP, que tem Fernando Firmino como cabeça-de-lista, também procuram alargar a sua base de apoio no concelho de Setúbal. Nas legislativas de 2013, ambos os partidos conseguiram pouco mais de 2% de votos cada um.
Em Setúbal há ainda uma candidata do PTP, Sandra Isabel da Encarnação, da qual não se conhece nenhuma ideia nem nenhum projecto para Setúbal e que, apesar de várias solicitações, não se mostrou disponível para revelar os motivos da candidatura.
Assim, nestas eleições autárquicas os candidatos à Câmara são a actual presidente da autarquia, Maria das Dores Meira (CDU), Fernando Paulino (PS), Nuno Carvalho (PSD), Ana Clara Birrento (CDS), Sandra Cunha (BE), Luís Teixeira (PAN), Fernando Firmino (PCTP/ MRPP) e Sandra Isabel da Encarnação (PTP).
Nas eleições autárquicas de 2013, a coligação PCP/PEV teve 41,93% dos votos (seis eleitos), o PS 26,41% (quatro eleitos) e a coligação PSD/CDS-PP 12,85% (apenas um vereador eleito). As outras forças políticas nunca tiveram representação no executivo camarário setubalense.
As eleições autárquicas realizam-se a 01 de Outubro.

Dores Meira (CDU) confiante na reeleição

A reeleição para um terceiro mandato “de serviço público” é o principal objectivo da candidatura de Maria das Dores Meira, cabeça de lista da CDU à presidência da Câmara Municipal de Setúbal.
Comendadora da Ordem do Mérito desde o dia 10 de Junho de 2014, Maria das Dores Meira esteve ligada ao sector de marcas e patentes desde 1980 e foi agente oficial da Propriedade Industrial no Instituto Nacional da Propriedade Industrial e representante da Organização Mundial da Propriedade Intelectual.
Advogada especializada em Lei de Propriedade Industrial e Intelectual e militante do PCP, Maria das Dores Meira, 60 anos, foi eleita vereadora da Câmara Municipal de Setúbal entre Janeiro de 2002 e Julho de 2006, tendo assumido os pelouros da Cultura, Educação, Desporto, Juventude e da Inclusão Social.
A candidata conta ainda no currículo com o desempenho de actividades de monitora e membro, entre 1974 e 1986, do Comité Nacional dos “Pioneiros de Portugal”, associação juvenil orientada para o desenvolvimento social e cultural e defesa dos direitos das crianças e jovens.
Presidente eleita do município setubalense por duas vezes, Dores Meira acredita que o trabalho realizado, onde inclui diversas obras de valorização turística e embelezamento da cidade, vai merecer de novo o voto dos setubalenses e promete continuar a requalificar as zonas ribeirinhas que não são utilizadas pela APSS (Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra), a construção de baías de retenção de águas na zona da várzea, para reduzir o risco de inundações na baixa da cidade e melhorar as acessibilidades às praias da serra da Arrábida.

 

Fernando Paulino (PS) tenta reconquistar município

`Setúbal é de todos´ é o lema do candidato socialista à Câmara setubalense, Fernando Paulino, vereador no executivo camarário setubalense, que vai tentar reconquistar o município setubalense à actual maioria CDU que governa a autarquia há 16 anos.
Natural de Vila Nogueira de Azeitão, no concelho de Setúbal, Fernando Paulino, de 57 anos, frequentou o antigo Liceu Nacional de Setúbal, onde integrou a Associação de Estudantes naquela que a sua primeira participação no movimento associativo. No plano profissional, Fernando Paulino é actualmente supervisor na Navigator Company, antiga Portucel, empresa onde trabalha desde 1981.
Actual presidente da Associação de Socorros Mútuos Setubalense e cumpre um segundo mandato como vice-presidente da União de Mutualidades Portuguesas, acumulando as funções de representante da referida instituição na Plataforma Supra Concelhia da Segurança Social.
Fenando Paulino tem também um já longo percurso em termos políticos, que começou com a adesão à JS (juventude Socialista) em 1975. Desde então já integrou vários órgãos da estrutura concelhia do PS de Setúbal e foi eleito presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria da Graça, cargo que desempenhou entre 2009 e 2013.
O programa da candidatura socialista assenta em seis eixos estratégicos – Setúbal Qualifica, Setúbal Emprega, Setúbal Aproxima, Setúbal Solidária, Setúbal Justa e Setúbal Melhor – que visam melhorar a qualidade de vida dos setubalenses em cada uma das áreas referidas.

 

Nuno Carvalho (PSD) quer recuperar votos perdidos

A recuperação dos votos perdidos nos últimos anos pelo PSD em Setúbal é o principal objectivo do empresário Nuno Carvalho, cabeça de lista do partido nas eleições autárquicas.
Licenciado em Direito pela Universidade Moderna de Lisboa (2001-2005), Nuno Carvalho, de 35 anos, possui uma especialização em Finanças pelo Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa (ISEG). Em termos profissionais, já exerceu funções de director geral da empresa NeoAsfalto e foi administrador não executivo de várias empresas na área petroquímica.
Actual presidente da Comissão Política Concelhia do PSD, Nuno Carvalho diz que o partido tem de crescer e conseguir uma posição relevante no concelho de Setúbal, lembrando que os social-democratas já ganharam várias eleições de âmbito nacional no concelho de Setúbal.
Nuno Carvalho liderou dois movimentos cívicos na cidade de Setúbal, um contra a criação de mais 5.000 lugares de estacionamento pago no centro da cidade e outro para a redução do IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis) no concelho.
Convicto de que a política autárquica passa cada vez mais pela defesa de causas importantes para os munícipes, Nuno Carvalho quer conquistar o apoio de todos os que acreditam num “concelho mais competitivo e com mais oportunidades de emprego”.

 

Sandra Cunha (BE) promete combater exclusão social

O combate à exclusão social e a melhoria da mobilidade no concelho são duas prioridades da cabeça de lista do Bloco de Esquerda (BE) nas próximas eleições autárquicas.
Licenciada em Sociologia e professora do Instituto Superior de Economia e Gestão, Sandra Cunha, de 44 anos, foi eleita deputada pelo Bloco de Esquerda nas eleições legislativas de 2015. é filha de emigrantes em França, mas estudou em Portugal e aderiu ao BE depois de regressar ao país de origem.
Para a candidata do BE, a Câmara Municipal tem um papel importante na questão da habitação, como no combate à exclusão, que passa por integrar as pessoas e por lhes dar condições de vida, de mobilidade e de habitabilidade dignas.
Sandra Cunha considera também que é necessário melhorar os transportes na zona de Azeitão e em diversos bairros da cidade de Setúbal, designadamente nas Manteigadas e na Bela Vista.
A candidata acredita que poderá alcançar um “bom resultado”, o que, a confirmar-se, poderá significar a eleição do primeiro vereador do BE para o executivo da Câmara Municipal de Setúbal.

 

Ana Clara Birrento (CDS-PP) quer cidade mais competitiva e sustentável

O desenvolvimento das actividades do mar e da serra e a construção de uma cidade cada vez mais sustentável são prioridades da cabeça de lista do CDS-PP à presidência da Câmara de Setúbal, Ana Clara Birrento.
Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas (Inglês/Alemão) e professora universitária, Ana Clara Birrento, de 56 anos, já foi directora do Centro Distrital de Setúbal da Segurança Social entre Dezembro de 2011 e Julho de 2015 e Presidente do Conselho Directivo do Instituto da Segurança Social (ISS), entre Julho de 2015 e maio de 2016, ao abrigo de concurso público da CRESAP – Comissão de Recrutamento e Selecção para a Administração Pública.
Ana Clara Birrento apresenta-se ao eleitorado numa lista do CDS-PP, ao contrário do que aconteceu há quatro anos em que populares e social-democratas se apresentaram ao eleitorado em coligação. A candidata do CDS-PP, que também já foi cabeça de lista nas eleições para o Parlamento Europeu, promete apresentar “propostas claras e de bom senso” para uma “cidade cada vez mais competitiva” e um “concelho mais moderno”.
Conhecedora da realidade social, económica e empresarial do concelho, Ana Clara Birrento reconhece que no último mandato da actual maioria CDU houve diálogo com os munícipes, mas diz também que faltou esse mesmo diálogo com os partidos da oposição na autarquia sadina.

 

Luís Teixeira (PAN) defende Setúbal Verde

O combate ao desperdício e a recuperação do espírito dos activistas do Projecto Setúbal Verde, dos anos 80, são alguns dos principais objectivos do candidato do PAN (Pessoas-Animais-Natureza) à Câmara de Setúbal.
Mestre em Política Comparada pelo Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, Luís Teixeira, de 39 anos, é autor do livro `Verdes Anos – História do Ecologismo em Portugal (1947-2011)´ e de vários estudos sobre o sistema eleitoral português.
Tradutor de profissão, Luís Teixeira também trabalhou como jornalista em diversos órgãos de comunicação social internacionais, nacionais e regionais, e foi editor do jornal oficial do Festroia – Festival Internacional de Cinema de Setúbal.
Um dos principais objectivos do candidato do PAN passa por recuperar o espírito dos jovens activistas do Projecto Setúbal Verde que, na década de 80 do século passado, foram pioneiros na defesa de um modelo de desenvolvimento sustentável para Setúbal, que Luís Teixeira diz ser ainda um dos melhores exemplos de cidadania naquela região.

 

Fernando Firmino (PCTP/MRPP) por melhores serviços públicos

A melhoria dos serviços públicos, dos transportes ao abastecimento de água, são algumas prioridades de Fernando Firmino, cabeça de lista do PCTP/MRPP nas eleições autárquicas para a Câmara de Setúbal.
Natural da Vila de Silvares, no concelho do Fundão, mas residente em Setúbal há 20 anos – desde 1997 – Fernando Firmino, 59 anos, reformou-se há pouco tempo depois de uma carreira profissional na área da segurança privada.
Militante do PCTP/MRPP, o candidato defende a necessidade de uma gestão mais rigorosa da autarquia e a necessidade de uma nova estrutura intermunicipal, com eleição directa, que seja capaz de defender os interesses da região, que designa como Área Especial de Lisboa.
Fernando Firmino considera que é necessário um “mecanismo de controlo colectivo que permita a implementação de serviços públicos essenciais, designadamente no que respeita ao abastecimento de água, transportes públicos acessíveis, frequentes, pontuais, confortáveis e seguros”.
Apaixonado pela história regional e local e colaborador de alguns órgãos de comunicação social da região de Setúbal, o candidato do PCPTP/MRPP diz ser sensível às questões ambientais e defende que a Câmara de Setúbal deveria ter uma posição mais dura relativamente às empresas poluidoras que constituem uma ameaça para o património natural da região, designadamente o Parque Natural da Arrábida e Reserva Natural do Estuário do Sado.

 

NOTA – Noticia rectificada às 13h48 de 19/09/2017. CDU governa autarquia desde 2001 e não 2009. Dores Meira é que é presidente desde 2009.

2 comments

Deixe uma resposta