Ministro das Infra-estruturas diz que aeroporto no Montijo pode estar em construção em 2019

Pedro Marques, ministro do Planeamento e das Infra-estruturas
Local Regional B Últimas B

Construção do aeroporto na Base Aérea n.º 6 só estará no terreno, na melhor das hipóteses, em 2019 e se a ANA “cumprir” com o memorando. Até à data, a ANA ainda só trocou documentação técnica com o Governo, quando era esperado que até Agosto tivesse submetido uma proposta para a infra-estrutura aérea no Montijo

O ministro do Planeamento e das Infra-estruturas, Pedro Marques, disse esta sexta-feira, 8, que o novo aeroporto do Montijo poderá estar em construção em 2019, se a proposta a apresentar pela ANA “cumprir” o memorando assinado entre o Governo e a concessionária.

“É essa a intenção. Não está aprovada uma proposta final. Há uma negociação para fazer entre o Governo e a ANA – Aeroportos de Portugal para salvaguardar os interesses públicos. Se assim for, em 2019 é nossa intenção que o aeroporto esteja em desenvolvimento”, afirmou Pedro Marques.

O responsável, que respondia à Lusa à margem da inauguração da fábrica da multinacional francesa Eurostyle Systems Portugal na zona empresarial de Lanheses, em Viana do Castelo, adiantou que, “neste momento, o trabalho que está em curso é um trabalho preparatório”.

“Os trabalhos devem estar no terreno em 2019 se a proposta que a ANA nos fizer, a proposta final que nos vai ser feita em 2018, com todos os estudos ambientais, estudos de migração de aves, nos termos do memorando que assinámos, for aprovada”, explicou.

O governante lembrou que o memorando assinado entre o Governo e a concessionária “prevê vários passos”.

“A ANA tem vindo a trocar documentação técnica com o Governo. Está, entretanto, a concluir os estudos de natureza ambiental que estavam em curso este ano. Apresentará uma proposta final que será negociada, em 2018, como o memorando previa”, revelou.

ANA ainda só entregou documentação técnica

A ANA entregou até agora ao Governo documentação técnica referente à resposta completar ao aeroporto de Lisboa, quando o calendário previa que em Agosto a empresa gestora dos aeroportos submetesse uma proposta para uma infra-estrutura aérea no Montijo.

Contactada pela Lusa, a ANA informou ter apresentado “à concedente [Estado] informação técnica sobre o projecto”, enquanto o Ministério do Planeamento e das Infra-estruturas disse que “o Governo e a concessionária encontram-se numa fase de troca de informação técnica, conforme determina o memorando”, sem precisar o conteúdo nem se constituem a proposta que já deveria estar na posse do Executivo.

Segundo o memorando assinado a 15 de Fevereiro entre o Governo e a ANA – Aeroportos de Portugal, gerida pela Vinci Airports, foram definidos seis meses – até meados de Agosto – para a apresentação de uma proposta para um aeroporto complementar ao de Lisboa na base aérea do Montijo.

Conforme a Lusa noticiou, o acordo prevê que, “no prazo de 180 dias contados da presente data [15 de Fevereiro]”, seja apresentado “um relatório com a proposta de alternativa da concessionária ao novo aeroporto de Lisboa, baseada no desenvolvimento de capacidade aeroportuária complementar no Montijo”.

Na semana passada o Jornal de Negócios noticiou que “ANA falha prazo do aeroporto do Montijo”, sublinhando que a empresa deveria ter entregue proposta ao Governo em Agosto, mas só existiu troca de informação técnica.

DIÁRIO DA REGIÃO com Lusa

Deixe uma resposta