Vitória empata com Moreirense no arranque do campeonato

Últimas

O Vitória não foi além de um empate (1-1) com o Moreirense na partida da primeira jornada da I Liga portuguesa de futebol realizada ontem à noite no Estádio do Bonfim. Os sadinos colocaram-se em vantagem no marcador, aos 13 minutos, por Edinho, mas Peña, aos 83 minutos, quando o Vitória já actuava com menos um elemento devido à expulsão de Vasco Fernandes fez o o golo da igualdade.

O Vitória entrou em campo com três reforços no onze inicial (Tomás Podstawski, João Teixeira e Willyan), enquanto os cónegos actuaram apenas com dois jogadores titulares que transitaram da época anterior (André Micael e Boateng). Apesar de menos entrosados, os primeiros sinais de perigo, que quase sempre surgiam de lances criados em alta velocidade, pertenceram ao Moreirense por intermédio de Alfa Semedo e Fati, respectivamente, aos sete e 12 minutos.

No minuto seguinte, os comandados de José Couceiro responderam, revelando 100 por cento de eficácia na primeira vez que chegaram à baliza contrária. João Amaral cruzou na direita e o avançado Edinho, superiorizando-se a Aberhoun nas alturas, cabeceou para o 1-0.

Já depois de o Vitória ter perdido a oportunidade de ampliar o marcador por Vasco Fernandes, o Moreirense acercou-se várias vezes da baliza defendida por Trigueira. O guarda-redes viu as redes ameaçadas aos 31, 33 e 38 minutos em remates de Boateng, Fati e André Micael, respetivamente.

No segundo tempo, Manuel Machado, técnico do conjunto de Moreira de Cónegos, lançou Cadiz, Peña e Alan Schons, que trouxeram dinâmica à equipa. Depois de um par de avisos, coube ao venezuelano Peña, numa jogada de insistência ser protagonista ao marcar o 1-1, aos 83 minutos.

O golo só surgiu numa fase em que os sadinos jogavam sem o defesa Vasco Fernandes, expulso por travar Cadiz que seguia isolado para a baliza de Trigueira. Mesmo a jogar com menos um atleta, os sadinos ainda tentaram voltar para a frente do marcador, mas as incursões de Gonçalo Paciência e Arnold não tiveram o desfecho desejado, mantendo-se o 1-1 até ao apito final.

«Vídeo-árbitro começou mal»

No final do encontro, José Couceiro considerou que, “infelizmente, o vídeo árbitro começou mal”, porque, vendo o lance na televisão “percebe-se perfeitamente que é o avançado que saca a falta”, pois “é ele o primeiro a meter o braço e depois é que há o contacto do defesa”.

“É muito fácil de ver. Há matreirice, obviamente, mas eu acho estranho é que quem está a ver o lance com tantas câmaras e de uma forma tão calma não tenha essa análise. Em directo para um árbitro é muito difícil, mas, como há um cartão vermelho, pode haver sempre recurso ao vídeo árbitro. É um dos quatro momentos. Portanto, infelizmente começámos mal”, afirmou.

Deixe uma resposta