PAN lança Artur Alfama e defende melhor mobilidade para Almada

Local Últimas B Últimas C

Artur Alfama é o cabeça-de-lista do partido Pessoas Animais Natureza (PAN) à Câmara Municipal de Almada. É a segunda vez que o PAN concorre à Câmara e à Assembleia Municipal

Uma das principais preocupações da candidatura à Câmara, encabeçada pelo comissário político nacional do partido, é “a mobilidade no concelho e o impacto da transportadora rodoviária TST na vida dos cidadãos”, que, segundo o PAN, denota “consequências particularmente gravosas nos locais não servidos pelo metro de superfície”.

O PAN defende “o cumprimento e fiscalização” da empresa de transporte rodoviário. “Por seu turno, um concelho com duas cidades e um metro de superfície que não as liga é totalmente inaceitável, pelo que o partido pretende aumentar a pressão junto do poder central para a resolução do problema”, revela o partido em nota de Imprensa.

“A quantidade de animais errantes e de abandonos conjugados com um regulamento camarário que impõe coimas a quem os alimentar constituem também um problema no município”, adianta o PAN, que defende a implantação de “um plano de controlo e dignificação dos animais de rua que tenha como soluções a sua recolha para o centro de bem-estar animal, a sua esterilização (para controlo da população)”, bem como o fomento de campanhas de adopção.

Em termos ambientais, o PAN pretende “travar a utilização de herbicidas tóxicos, venenos em espaços públicos do concelho, interrompendo o seu uso”, promovendo a adesão à campanha da Quercus “Autarquias sem Glifosato/Herbicidas”.

“São comprovados os efeitos tóxicos do uso desta substância. Trata-se de um problema de saúde pública que continua a ser ignorado pelo atual executivo camarário”, considera o partido que, em contrapartida, quer apostar em hortas urbanas.

Uma maior fiscalização e actuação sobre o estacionamento desordenado junto das praias em áreas proibidas e de elevado risco, é outro dos pontos defendidos pela candidatura.

“Temos um diamante no nosso território. Mas é preocupante ver o barril de pólvora em que a nossa orla costeira se transformou. Estacionamento e trânsito selvagens, filas intermináveis de automóveis sem qualquer possibilidade de acesso a um veículo de emergência em caso de necessidade. Será precisa uma catástrofe para entendermos o risco existente?”, questiona Artur Alfama, citado na mesma nota.

A criação de uma loja do cidadão é outro projecto que o PAN quer concretizar. “Se possível, num contexto de descentralização, revitalizando zonas do nosso concelho que não apenas a cidade de Almada”, conclui o partido.

Deixe uma resposta