MONTIJO | Cipriano Pisco aponta à conquista de um lugar na vereação

Local Últimas B Últimas C

Cabeça-de-lista assume objectivo do Bloco de Esquerda para as próximas autárquicas. Acordos de execução com as freguesias, recuperação da zona ribeirinha e conclusão da revisão do PDM são algumas das principais linhas de orientação dos bloquistas

A candidatura do Bloco de Esquerda (BE), encabeçada por Cipriano Pisco, à Câmara Municipal do Montijo, vai defender cinco pontos que considera essenciais para o município, na corrida às autárquicas de 1 de Outubro próximo. E espera ser eleito para a vereação.

O BE tem vindo a “ouvir as pessoas, as suas propostas e sugestões”, no sentido de elaborar o programa eleitoral que já começou a ser elaborado.

“A celebração de acordos de execução com todas as freguesias, disponibilizando as verbas e os trabalhadores necessários para a sua execução; e a recuperação da zona ribeirinha, para o seu melhor aproveitamento e para que os munícipes e as suas famílias possam usufruir do rio” são duas das linhas gerais que o cabeça-de-lista defendeu durante a apresentação da sua candidatura. Cipriano Pisco elegeu ainda o “apoio ao movimento associativo”, tendo em vista a dinamização das actividades das colectividades, e uma maior aposta em “dotar os trabalhadores do município com instalações dignas”. Não menos importante, segundo o candidato, é a “conclusão urgente do Plano Director Municipal [PDM]”.

“Em suma, o nosso programa não deixará de abordar todos os problemas que são transversais ao nosso concelho, nomeadamente, os referentes à saúde, à cultura e ao desporto e tudo mais quanto for necessário para enfrentar as novas realidades”, adiantou Cipriano Pisco.

O BE assume como objectivo nas próximas eleições “aumentar o número de votos e de autarcas e a eleição de um vereador, ganhando assim representação na Câmara Municipal do Montijo”.

Balanço ao trabalho na Junta

Cipriano Pisco fez ainda um balanço ao trabalho desenvolvido pelo Bloco na Junta de Freguesia Montijo/Afonsoeiro, lembrando os últimos resultados autárquicos.

“Os resultados das eleições autárquicas de 2013 não conferiram maioria absoluta a nenhum partido. Perante esta situação, o Bloco decidiu integrar a Junta de Freguesia do Montijo/Afonsoeiro, decisão política que surpreendeu muita gente”, sublinhou, adiantando: “Ao tomarmos essa decisão acordámos que os partidos que compõem o executivo manteriam toda a autonomia e respeitariam a identidade de cada um. Ficou acordado também que as propostas seriam discutidas previamente para que se chegasse a um consenso que permitisse a unanimidade nas votações.”

“Quero dizer hoje que apesar das dificuldades de governar uma união de freguesias que representa 40 mil habitantes do nosso concelho, o acordo foi rigorosamente cumprido e mesmo nas situações mais difíceis tivemos a frieza de as analisar e encontrar em conjunto as melhores propostas e soluções”, frisou.

O cabeça-de-lista realçou também as reuniões realizadas pelo Bloco em todas as freguesias, no âmbito dos acordos de execução. “Essas reuniões levaram o Bloco a votar favoravelmente os acordos de execução na Assembleia Municipal, que abrangeram todas as freguesias do nosso concelho, ao contrário do que aconteceu nos mandatos anteriores em que quem não estivesse de acordo com os orçamentos da Câmara não assinava os acordos de execução, numa atitude política de discriminação e chantagem política”, criticou.

Luta e propostas

Cipriano Pisco salientou, por outro lado, que o BE “esteve na luta pela recuperação da Estrada Nacional N.º 4, fazendo aprovar uma moção na Assembleia Municipal e participando nas manifestações realizadas”, bem como na luta “pela defesa dos utentes dos barcos da Transtejo fazendo aprovar uma moção por unanimidade”, apoiando também “os utentes dos TST”.

Quanto a propostas, recordou: “Em 2015, na discussão do Orçamento da Câmara Municipal, apresentámos a recuperação dos espaços verdes; a limpeza das ruas, recolha do lixo e recolha do lixo grosso; a recuperação e asfaltamento das estradas municipais; a recuperação dos parques infantis, em parceria com as freguesias; a recuperação do mobiliário urbano; e a realização de obras nas várias freguesias em cooperação com as freguesias.”

“Tendo em conta que apenas algumas destas propostas foram incluídas no Orçamento Municipal, o Bloco absteve-se na sua votação”, concluiu.

Deixe uma resposta