Trabalhadores da Autoeuropa marcam greve para 30 de Agosto

Local Regional B Últimas B

Os trabalhadores da Autoeuropa decidiram esta sexta-feira convocar uma greve a todos turnos para o próximo dia 30 de Agosto na expectativa de que a administração da empresa se disponibilize para “reatar o diálogo”, anunciou a Comissão de Trabalhadores.

Em nota de imprensa hoje divulgada, a Comissão de Trabalhadores refere que a decisão dos trabalhadores de avançarem para a greve surge na sequência dos plenários realizados hoje na fábrica da Volkswagen Autoeuropa, em Palmela.

“A Comissão de Trabalhadores manteve sempre o diálogo com a administração no sentido de encontrar a melhor solução que salvaguardasse os interesses de ambas as partes”, lê-se na nota de imprensa em que os representantes dos trabalhadores também manifestam a esperança de que a administração da Autoeuropa de disponibilize para “reatar o diálogo”.

A Comissão de Trabalhadores não refere as razões da greve marcada para 30 de Agosto, mas sabe-se que os trabalhadores da Autoeuropa contestam a alegada intenção da empresa de reduzir a retribuição do trabalho e alterações aos horários justificadas pelo esperado aumento do volume de trabalho, com o início de produção de um novo veículo na fábrica de Palmela, tal como estava previsto para o final do primeiro semestre deste ano.

A agência Lusa tentou contactar a Comissão de Trabalhadores e a administração da Autoeuropa, mas não foi possível.

Lusa

One comment

  1. a decisão de se marcar greve deve-se á intenção da administração querer impor-nos trabalho obrigatório aos sábados sem recebermos mais por isso. querem que descanse-mos um dia durante a semana e o outro dia ao domingo querem ainda impornos turnos em que trabalhamos 9 horas á sexta e ao sábado fazendo 42 horas por semana o que é ilegal. imaginem o que vai descansar e que tempo terá para a familia um trabalhador que saia da fabrica no turno da tarde de sábado á 1 da manha (já domingo) e tenha de voltar ao trabalho na segunda feira ás seis da manha como eles querem fazer. o que nós exigimos é que o trabalho ao sábado seja visto e pago como trabalho extraordinário e feito de forma voluntaria e nunca de forma obrigatória como nos querem impor. alem disso querem que trabalhemos de forma obrigatória sete feriados por ano. com os horários que nos querem impor deixamos de ter tempo para bas nossas famílias e não somos devidamente recompensados por isso. em toda a historia da fabrica os trabalhadores sempre cumpriram com a produção pedida pela Alemanha e a administração nunca tentou fazer um atentado tão grande aos nossos direitos como está a querer fazer agora. é de lembrar que o trabalho nas linhas de montagem da autoeuropa é um trabalho de desgaste rápido e não é reconhecido como tal. sendo raro o trabalhador com 15 ou vinte anos de linha de montagem que não tenha problemas de saúde causados pelo trabalho. nós queremos cumprir com a produção que a Alemanha nos pede que é de 200 e tal mil carros para o próximo ano , mas também queremos ser pagos pelo trabalho extraordinário e queremos ter algum tempo para a nossa família pois os novos horários como nos foram apresentados são anti-familia e muitas famílias simplesmente não irão aguentar e vão desfazer-se. trabalho sim mas com direitos

Deixe uma resposta