Delegado de Saúde repõe bandeira verde na praia da Califórnia em Sesimbra

Regional Últimas C

O Delegado Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo defendeu hoje, 14, que o resultado da análise da água efectuada terça-feira na praia da Califórnia, em Sesimbra, não justificava o desaconselhamento da utilização daquela praia na quinta-feira.

A capitania do porto de Setúbal, que hoje voltou a içar a bandeira verde, tinha desaconselhado quinta-feira a utilização da praia da Califórnia, depois de ter sido alertada pela APA (Agência Portuguesa do Ambiente) para o resultado da análise que detectou bactérias coliforme acima dos valores recomendados.

“O resultado da análise ultrapassava em, apenas, cerca de 0,5 por cento o valor máximo – que é estabelecido por consenso dos técnicos -, pelo que considero não haver motivos para desaconselhar a utilização da praia da Califórnia”, disse o delegado de saúde Mário Durval, adiantando que foi surpreendido com a decisão de desaconselhamento da utilização daquela praia de Sesimbra, no distrito de Setúbal.

“Uma análise que ultrapasse os valores máximos estabelecidos deve ser entendida como um sinal de alerta, mas é preciso ter em conta se há qualquer foco de poluição que justifique esse valor, se há descargas de esgotos relativamente próximas, o que não acontece na praia da Califórnia”, justificou.

O delegado regional de saúde lamentou ainda que se tivesse criado um “alarmismo injustificado” e defendeu que, neste caso concreto, a utilização da praia só deveria ser desaconselhada, ou mesmo interditada, depois de conhecidos os resultados da contra-análise, que deverão ser anunciados durante o próximo fim-de-semana.

“Temos de ter em consideração que basta uma criança ou uma gaivota lançarem os dejectos na água pouco antes da recolha para análise, para que o resultado ultrapasse o valor máximo permitido”, disse Mário Durval.

A presidente da Câmara de Sesimbra, Felícia Costa, acredita que houve “alguma precipitação” da APA ao desaconselhar a utilização da praia e defende a necessidade de se rever o protocolo para evitar casos semelhantes, que penalizam o turismo e os utilizadores das praias de Sesimbra.

“Já temos agendada para a próxima semana uma reunião entre a Câmara Municipal, APA, Capitania do Porto de Setúbal e Delegado Regional de Saúde, para que situações deste género não voltem a acontecer”, concluiu Felícia Costa.

Deixe uma resposta