Rui Canas Gaspar lança livro sobre o rio Sado

RUI CANAS GASPAR. Autor setubalense apresentou o seu mais recente livro
Local C Sociedade Sociedade B

“Sado” é o décimo primeiro livro lançado por Rui Canas Gaspar, nascido e criado nas margens do Sado há 69 anos e o grande impulsionador do grupo “Coisas de Setúbal”, que no Facebook tem já mais de 30 mil membros

 

O conhecido autor setubalense Rui Canas Gaspar lançou o seu mais recente livro, com um “conjunto de histórias, vivências e factos” relacionados com o rio Sado, na Casa da Baía, sábado ao final da tarde, perante uma plateia com mais de 60 pessoas. Este é já o décimo primeiro livro do autor no espaço de seis anos.

A obra, que aborda a história do rio Sado sobre diversos prismas, desde a sua origem à fixação dos povos ao longo dos séculos, a vida selvagem, a ligação do rio com a cidade e com a margem esquerda de Troia e a exploração económica, é fruto do “trabalho de campo” desenvolvido pelo autor. “Resulta da minha experiência de ir ao terreno e de falar com as pessoas que governaram a sua vida no Sado, desde o homem que apanha os chocos, à senhora que trabalhou nas ostras e na apanha do sal e que hoje trabalha na piscicultura”, exemplificou Rui Canas Gaspar ao DIÁRIO DA REGIÃO.

O autor explicou também porque razão o narrador do livro é o próprio rio personificado. “Achei que seria interessante ser o Sado a contar a sua própria história de vida”, disse, frisando que esta é uma obra baseada em factos e que ainda assim não deixa de enquadrar “algumas lendas, como a lenda dos golfinhos do Sado”.

O rio, cuja nascente se localiza na Serra da Vigia, em Ourique, tem 180 quilómetros de comprimento e é o único, a par do Rio Mira, em Odemira, que corre de sul para norte, desaguando no Oceano Atlântico. Nessa perspectiva, também é referida a relação do rio com a Baía de Setúbal, que integra o Clube das Mais Belas Baías do Mundo desde 2002.

Rui Canas Gaspar pretende que esta obra sirva um propósito “pedagógico”, transmitindo conhecimento aos setubalenses para que cuidem melhor do património natural, e ao mesmo tempo de promoção do turismo, numa altura em que “Setúbal está a viver uma revolução que é pôr os setubalenses novamente virados para o rio”, afirmou.

O livro, de 200 páginas, tem uma fotografia de capa da autoria de Eugénio Buchinho que mostra o espectáculo de fogo-de-artifício sobre o rio, a partir de Setúbal, na última noite de passagem de ano. A obra encontra-se a partir de agora à venda nas livrarias Culsete, Hemus e Universo, na baixa de Setúbal, pelo preço de 15 euros, podendo ser encomendada igualmente junto do autor.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Diário da Região

Deixe uma resposta