Urgência de obstetrícia do Hospital São Bernardo assegurada por médicos mas grávidas de alto risco são transferidas

Local C Últimas B

Greve dos enfermeiros especialistas afecta maternidade. Dos 11 enfermeiros especialistas do hospital de Setúbal nenhum está a prestar cuidados diferenciados

 

A urgência de obstetrícia do Hospital São Bernardo, em Setúbal, está a ser assegurada por médicos devido à recusa de prestação de cuidados diferenciados pelos enfermeiros especializados em obstetrícia, disse hoje à agência Lusa uma enfermeira especialista.

“O serviço de urgência de obstetrícia está a ser assegurado pelos médicos, porque não há nenhum enfermeiro especialista em saúde materna e obstetrícia a prestar cuidados diferenciados”, disse Adriana Taborda, que integra o Movimento Enfermeiros Especialistas em Saúde Materna e Obstetrícia (EESMO).

Este movimento decidiu recusar, a partir de hoje, a prestação de cuidados diferenciados em protesto contra o não pagamento desta especialidade.

Segundo Adriana Taborda, o bloco de partos do Hospital São Bernardo está a funcionar normalmente, uma vez que os dois enfermeiros especialistas de serviço, um deles a prolongar o turno da noite devido à falta de um/a colega, têm contrato de especialista e são pagos como tal.

“Eu estou há nove anos a prestar cuidados diferenciados, mas recebo como enfermeira generalista, enquanto outros enfermeiros que se formaram depois e que já entraram com contrato de especialistas, auferem salários superiores, com uma diferença de, pelo menos, mais 200 euros”, disse Adriana Taborda, salientando, no entanto, que esta diferenciação só se verifica no Hospital São Bernardo, em Setúbal.

“Nas outras unidades hospitalares, os enfermeiros especialistas em saúde materna e obstetrícia recebem todos como enfermeiros generalistas apesar de prestarem cuidados diferenciados”, acrescentou.

Segundo a Ordem dos Enfermeiros, que apoia os profissionais neste protesto, existem cerca de 2.000 enfermeiros que, apesar de serem especialistas, recebem como se prestassem serviços de enfermagem comum.

 

Unidade de grávidas de alto risco encerrada

A unidade de grávidas de alto risco do Hospital São Bernardo, em Setúbal, está encerrada hoje de manhã por falta de enfermeiros especialistas, na sequência do protesto contra a falta de pagamento desta especialidade, disse à Lusa uma enfermeira.

De acordo com a enfermeira Susana Surribas, que integra o Movimento Enfermeiros Especialistas em Saúde Materna e Obstetrícia (EESMO), as grávidas de alto risco vão ser transferidas para outras unidades do Hospital de São Bernardo ou para o Hospital Garcia de Orta, em Almada.

Também as grávidas que pretendem fazer interrupções voluntárias de gravidez estão já a ser transferidas, para a Clinica dos Arcos, em Lisboa, adiantou a mesma fonte.

 

Lusa

Deixe uma resposta