GNR e PSP de Setúbal ajudam a desmontar rede de tráfico de tabaco que lesou o Estado em 23 milhões

Foto de Arquivo
Local Últimas B

Megaoperação permitiu deter 19 suspeitos com idades entre os 26 e os 61 anos. Foi apreendido o equivalente a 8,4 milhões em folha de tabaco e tabaco de enrolar. Três dos suspeitos ficaram em prisão preventiva e outros três em prisão domiciliária

O Comando Territorial da GNR e a PSP, de Setúbal, participaram numa megaoperação que decorreu em todo o País e que culminou com a detenção de 19 pessoas, com idades entre os 26 e 61 anos, suspeitas de pertencerem a uma rede de comercialização de tabaco, que terá lesado o Estado em 23 milhões de euros.

De um total de 111 buscas realizadas, foi apreendido o equivalente a 8,4 milhões de cigarros em folha de tabaco e tabaco de enrolar e mais de 200 mil euros em numerário, sendo que três dos suspeitos presentes a tribunal ficaram em prisão preventiva e outros três em prisão domiciliária, depois de presentes ao Tribunal Central de Instrução Criminal, revelou a GNR em comunicado.

“A Unidade de Acção Fiscal e a Direcção de Serviços Anti-fraude da Alfândega detiveram, nos dias 21, 27 e 28 de Junho, 19 pessoas e apreenderam, em todo o território nacional, [o equivalente a 8,4 milhões de cigarros em folha de tabaco] no decorrer de uma operação que envolveu 111 buscas”, pode ler-se no comunicado.

Segundo a GNR, a operação “foi o culminar de uma investigação realizada no Departamento Central de Investigação e Acção Penal durante o último ano, relativa a crimes de associação criminosa, introdução fraudulenta no consumo qualificada, fraude qualificada e branqueamento de capitais”.

A acção das forças de autoridade envolveram 87 mandados de busca domiciliárias e 24 não domiciliárias, permitindo “deter 19 pessoas com idades entre os 26 e os 61 anos”. Foi aprrendido o seguinte material: “O equivalente a 8,4 milhões de cigarros em folha de tabaco e tabaco de enrolar; 29 592 cigarros; mais de 200 mil euros em numerário; 25 armas (armas de fogo de diversos calibres, bastões extensíveis, facas tipo borboleta, matracas); 621 munições de calibre de guerra; 144 computadores portáteis, CPU e telemóveis; 31 veículos utilizados para a prática do crime; e 432 máquinas industriais e artesanais de triturar tabaco em folha, de entubar cigarros e diversos acessórios utilizados para tal prática.”

Os suspeitos, reforça a GNR, “constituíam uma rede que se dedicava à aquisição massiva de tabaco em folha, oriunda de vários países, com vista à sua posterior transformação em armazéns e residências que funcionavam como verdadeiras fábricas artesanais e industriais”.

“A atividade conduzida de modo ilegal não fazia pagamento dos devidos impostos, tendo sido calculado pela alfândega portuguesa um prejuízo para o Estado de 23 milhões de euros em impostos indirectos”, acrescenta a GNR no mesmo comunicado.

Além de Setúbal, a operação teve o apoio dos comandos territoriais de Lisboa, Porto e Santarém, bem como do Comando Metropolitano da PSP de Lisboa e Setúbal, com um efectivo total de 206 militares, agentes e inspectores.

Deixe uma resposta