Final da Taça do Inatel acaba com autocarro vandalizado e mulher de jogador desmaiada [VÍDEO]

33
visualizações

Treinador dos Africanos, António Pereira, diz que mulheres e filhos dos jogadores foram alvo de agressões e mostra autocarro que transportou a equipa vandalizado. GNR considera que existiram apenas “picardias”. Técnico do Olival Queimado diz que se apercebeu de “ofensas verbais de parte a parte” na bancada

Os Africanos saíram derrotados da final da Taça do Inatel no desempate por pontapés da marca de grande penalidade (4-3), após o 2-2 com que se atingiu o final do período de jogo útil, diante do Olival Queimado, em Alcácer do Sal, no último domingo. A partida ficou, porém, marcada por tumultos nas bancadas e, no final, por um ataque ao autocarro que transportou a equipa da Bela Vista, de Setúbal, disse António Pereira, técnico dos Africanos, ao DIÁRIO DA REGIÃO.

- Pub -

“Quando chegámos ao campo municipal de Alcácer fomos logo recebidos de uma maneira hostil. As esposas dos jogadores assim como os filhos, todos eles crianças, começaram logo a ser insultados, no começo do jogo partiram para as agressões. Os nossos jogadores ficaram logo condicionados pois tinham os filhos e as esposas a serem agredidos nas bancadas sem que ninguém fizesse nada, inclusive a GNR”, afirma o treinador.

“No fim do jogo, quando nos dirigíamos para o autocarro e sem que nada o fizesse prever, fomos atacados. É mesmo esta a expressão. A esposa do nosso capitão Vasco Gomes foi agredida com um bebé de 11 meses ao colo tendo mesmo desmaiado”, acrescenta, indignado, o técnico. “É isto que temos no Inatel em Setúbal. Eu fui agredido…”, critica.

O autocarro ficou com marcas visíveis no vidro dianteiro e, além dos episódios de violência, também a equipa de arbitragem não agradou a António Pereira.

“Queria deixar um pedido de desculpas a todos os adeptos que nos foram acompanhar e foram agredidos e dizer que os jogadores dos Africanos foram uns verdadeiros campeões. Não merecíamos tanta injustiça numa época só. Depois de sermos eliminados da 2.ª fase na secretaria, o Inatel deu-se ao luxo de nomear os mesmos árbitros que apitaram os Africanos nas meias-finais. Como é possível a mesma equipa de arbitragem arbitrar dois jogos seguidos da mesma equipa, ainda por cima uma final? Só no Inatel em Setúbal. Uma vergonha, para mim basta. Inatel nunca mais”, desabafou, a concluir.

Já Eduardo Guedes de Jesus, treinador da equipa do Olivais Queimado na Taça do Inatel, em declarações ao DIÁRIO DA REGIÃO, diz que se apercebeu de troca de insultos e de alguns empurrões entre adeptos das duas equipas.

“Estava apenas concentrado no jogo. Apercebi-me de ofensas verbais mútuas, entre elementos dos dois clubes e de alguns empurrões entre as pessoas, na bancada”, observou, acrescentando que não presenciou as situações que ocorreram no final, fora do terreno de jogo.

GNR nega agressões e diz ter identificado autores de ataque ao autocarro

Fonte da GNR de Alcácer do Sal confirmou ao DIÁRIO DA REGIÃO que os autores do ataque ao autocarro que transportou a equipa de Setúbal “estão identificados e serão responsabilizados em tribunal”.
Todavia, apresenta versão diferente da do treinador António Pereira em relação ao cenário vivido na bancada. “Houve picardias, mas não agressões”, disse a mesma fonte, avançando que “o comportamento do técnico dos Africanos foi inadequado desde o início do jogo” e que as acusações feitas por António Pereira contêm “matéria criminal”, tendo disso mesmo sido “já dado conhecimento ao tribunal”.

Inatel pede relatório à GNR

O DIÁRIO DA REGIÃO também contactou o Inatel, que teve dois delegados a assistirem ao encontro. João Ribeiro, director nacional do Departamento de Desporto do Inatel, preferiu remeter para mais tarde algumas explicações.

“Já pedimos o relatório da ocorrência à GNR. Só depois é que poderemos emitir um comunicado”, revelou o responsável.

Vídeo mostra esposa de jogador desmaiada no chão

Entretanto, ao final da tarde desta terça-feira, foi partilhado um vídeo na página da rede social Facebook do clube Os Africanos onde é possível ver uma mulher caída no chão e uma outra a ser retirada do local à força, por entre algumas pessoas. De acordo com a publicação, a mulher caída no chão é a esposa do capitão de equipa de os Africanos, Valter Gomes.

Comentários

- Pub -