Palmela vê aprovadas candidaturas a fundos comunitários e aguarda mais

Requalificação dos Paços do Concelho é uma das candidaturas a fundos comunitários que aguarda aprovação
Local Últimas B

Janela da Arrábida, requalificação dos Paços do Concelho, ecopista e estrada de Vila Amélia esperam luz verde. “Requalificação da sede da Associação Cultural e Recreativa de Fernando Pó” e projecto de “soluções de transporte flexível em território periurbano” comparticipados

A Câmara Municipal de Palmela viu aprovadas, este mês, mais duas candidaturas aos Fundos Comunitários (Portugal 2020), tendo em vista a requalificação e desenvolvimento do território. Além destas, o município espera ainda que seja dada luz verde a outras candidaturas efectuadas a programas de financiamento comunitário.

A “Requalificação do edifício da sede da Associação Cultural e Recreativa de Fernando Pó”, no valor global de 178.875 euros, foi aprovada no dia 5 de Junho, no âmbito do PEDU-PAICD (Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano – Plano Integrado para Comunidades Desfavorecidas).

“Especialmente vocacionada para dar apoio à Mostra de Vinhos, integrada no projecto Centro Rural Vinum Fernando Pó, a candidatura inclui novas instalações, nomeadamente, a criação de um pavilhão multiusos coberto, um gabinete de apoio técnico a várias actividades e competências e novas casas de banho, devidamente integradas no edificado existente. A obra, que já está em curso, será assim co-financiada a 50%”, sublinha a autarquia.

A outra candidatura também aprovada no mesmo dia, no âmbito do PEDU-PAMUS (Plano de Acção para a Mobilidade Urbana Sustentável), refere-se a “soluções de transporte flexível em território periurbano”: Ascende a um valor global de 141.536 euros e também beneficiará da comparticipação de 50%.

“Este estudo tem como finalidades encontrar as soluções de transporte flexível mais adequadas para o território, nomeadamente nas zonas de: Pinhal Novo/área rural; Palmela/Aires; Quinta do Anjo/Penalva e Poceirão/Marateca, envolvendo as/os diversas/os agentes locais (designadamente as/os Bombeiros, as IPSS e as/os taxistas) e, simultaneamente, promover um sistema de informação em tempo real às/os passageiras/os de transporte público colectivo”, esclarece o município

Janela da Arrábida

Espaço Fortuna

A Câmara submeteu, entretanto, outras candidaturas a programas de financiamento comunitário. “Este mês, a autarquia submeteu a candidatura ‘Janela da Arrábida’ a fundos comunitários, no âmbito do PRARRÁBIDA – ‘Plano de Ação para a conservação, valorização e promoção do património histórico, cultural e natural da Arrábida’, que engloba um conjunto diversificado de acções e vários parceiros, nomeadamente, os municípios de Sesimbra e Setúbal, a ADREPES – Associação de Desenvolvimento Regional da Península de Setúbal, a Associação de Municípios da Região de Setúbal e a Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa”, revela.

Esta intervenção, orçada em 620.000 euros prevê a criação de um centro de interpretação para visitantes e turistas (multidisciplinar e multifuncional), no Espaço Fortuna – Artes e Ofícios, na Quinta do Anjo. Contempla, ainda, a reabilitação do edificado, a requalificação dos jardins e a musealização do espaço.

Salão Nobre dos Paços do Concelho

No mês assado, no âmbito PEDU – PARU (Planos de Acção de Regeneração Urbana), a autarquia candidatou-se, de igual modo, ao financiamento comunitário para a “requalificação do Salão Nobre dos Paços de Concelho”, que apresenta um custo global de 457.433 euros.

De acordo com o município, esta intervenção “contribuirá para a preservação do património histórico edificado e abrange a reabilitação parcial do edifício, localizado no Centro Histórico de Palmela, nomeadamente, a cobertura e fachadas, o Salão Nobre e zona contígua”, além de permitir ainda a “eficiência energética, remodelação do bar e casas de banho”.

2.ª fase da Ecopista de Pinhal Novo até Montijo

Ecopista do Pinhal Novo

Outra candidatura a fundos comunitários (Portugal 2020) que também já “rola” é a da execução da segunda fase da ciclovia de Pinhal Novo, no valor global de 350.000 euros. Foi apresentado em Maio último e “abrange um troço que faz parte da Rede Ciclável da Península de Setúbal”, designada por CICLOP7.

“O projecto integra uma área de dois quilómetros de extensão, com um perfil idêntico à existente, sobre o canal ferroviário, até ao limite do concelho com o Montijo, na Jardia. Esta empreitada integra o arranjo paisagístico, mobiliário urbano, 14 atravessamentos para acesso às propriedades e iluminação”, explica a autarquia.

Estrada de Vila Amélia

Outro dos projectos que envolve, além de Palmela, vários municípios da região é o da 1.ª fase da operação HUB10 – Plataforma Humanizada de Conexão Territorial – com o valor global de 635.655 euros. Este projecto que envolve os municípios de Palmela, Sesimbra e Setúbal, Barreiro, Seixal e Montijo e foi submetida, igualmente em Maio, a uma candidatura a fundos comunitários.

“Esta fase inclui a melhoria do troço norte da Estrada de Vila Amélia, através da execução de uma grande rotunda na intersecção com os concelhos de Setúbal e Sesimbra, a requalificação da rotunda da Makro, reperfilamento da faixa de rodagem, novo enquadramento paisagístico e a inclusão de via para peões e ciclistas. Com esta intervenção, pretende-se melhorar o tráfego naquela zona de indústria e serviços”, conclui a edilidade.

 

Câmara compra terreno para requalificar urbanização

Autarquia pretende requalificar espaço junto à Urbanização Nogueira e Matos

O município de Palmela anunciou que celebrou, no passado dia 7, a escritura de compra de uma faixa de terreno com 975 m2, paralela à Rua Orlando Ribeiro (troço nascente), no Pinhal Novo, pelo valor de 20.340 euros. “A aquisição tem em vista permitir a requalificação do espaço adjacente aos prédios da Urbanização Nogueira e Matos, cujo projecto em elaboração contempla a criação de uma bolsa de estacionamento com enquadramento paisagístico, que remate aquela zona urbana da vila”, revelou a autarquia.

Deixe uma resposta