Eugénio da Fonseca condecorado com Medalha de Honra do Concelho de Palmela

Local C Regional

Álvaro Amaro destacou os afectos, a propósito do mérito de cidadãos e instituições a favor do concelho. Eugénio da Fonseca recebeu a homenagem com “perplexidade e gratidão”


Eugénio da Fonseca foi distinguido com a Medalha de Honra do Concelho de Palmela, na semana passada, na cerimónia de atribuição de condecorações do Município de Palmela. A distinção deveu-se ao trabalho que Eugénio da Fonseca tem realizado no combate à pobreza e às desigualdades sociais, enquanto presidente da Cáritas Diocesana de Setúbal, durante mais de 30 anos, e da Cáritas Portuguesa.
O município destaca a colaboração do homenageado com várias organizações humanitárias, de saúde e académicas, exercendo a solidariedade como missão de vida.
Durante o evento, que decorreu na Sociedade Filarmónica Humanitária, Álvaro Amaro, presidente da Câmara de Palmela, destacou a proximidade do presidente da Cáritas, que é natural e habitante de Setúbal. “É um homem de uma dimensão notável, que mantém, desde há muitos anos, uma relação estreita com o nosso concelho e a região. Presidente da Cáritas de Setúbal até ao ano passado, acompanhou pessoalmente projectos especiais e acções de solidariedade no nosso concelho”, disse. Na cerimónia foi sublinhado o trabalho desenvolvido pelo homenageado no Centro Comunitário de São Pedro, em Cajados.
“Sempre que me têm sido concedidas distinções, das mais modestas às mais relevantes como esta, invadem-me os sentimentos de perplexidade e gratidão”, revelou, por sua vez, Eugénio da Fonseca. “Perplexidade porque tenho a plena convicção de que tudo o que tenho feito, e ainda possa vir a fazer para a sociedade portuguesa, não é mais do que o cumprimento dos meus deveres, enquanto cidadão, justificou o mesmo. Em relação ao sentimento de gratidão, Eugénio da Fonseca referiu primeiramente os seu pais, por lhe terem “legado a capacidade de amar até doer, da dedicação incansável ao trabalho e a um apego intransigível à honestidade”. Agradeceu também à sua esposa, aos filhos, aos irmãos e aos “restantes familiares mais próximos, aos de sangue e aos de coração”.
Eugénio da Fonseca citou também os amigos e destacou o nome de D. Manuel Martins, o seu “pai espiritual”. Mencionou os colaboradores e ex-colaboradores de organizações e associações, salientando a Cáritas Portuguesa e a Confederação Portuguesa do Voluntariado. No que toca a instituições públicas, e numa referência aos representantes da Câmara Municipal de Palmela, agradeceu “a quem tem acreditado nas minhas reais motivações e tem aceitado as minhas interpelações, sabendo que jamais foram e serão feitas em oposição política e partidária, seja a quem for ou ao que for, nem por protagonismo pessoal, mas só para lhes fazer chegar a voz de quem não a tem”.

Reconhecimento de 46 pessoas e entidades

Além da Medalha de Honra do Concelho de Palmela, a Câmara Municipal distinguiu 46 entidades e personalidades que têm contribuído para o desenvolvimento das cinco freguesias, em diversas vertentes. Com os graus de cobre e ouro, foram entregues 46 medalhas municipais de Mérito, destacando-se o Associativismo e a Cidadania, a Cidadania e a Solidariedade, a Cultura, o Desporto, o Desporto-Prémio Carreira, a Economia e o Comércio Tradicional, bem como o Turismo para o Desenvolvimento Sustentável.
Durante a iniciativa, Simone Fragoso, nadadora para-olímpica, distinguida com a Medalha Municipal de Mérito Desporto – Prémio Carreira, agradeceu o reconhecimento da parte da autarquia. Entre muitos aplausos, comentou que os 12 anos de carreira “foram extremamente difíceis, entre clubes, fisioterapeutas e treinadores”. A atleta medalhada adiantou: “O prémio não seria só meu, seria dos meus amigos, familiares e daquela grande querida que está ali, a minha ‘super-mãe’”.
Através do seu próprio espólio de 600 peças e instrumentos musicais, Luís Cangueiro foi o impulsionador do original Museu da Música Mecânica, localizado em Arraiados, Pinhal Novo. Condecorado com a Medalha Municipal de Mérito Cultura, Luís Cangueiro disse ao DIÁRIO DA REGIÃO que “a distinção significa o reconhecimento do trabalho que desenvolvi num projecto de alta qualidade. É um museu único no País e tenho muito orgulho de o ter constituído neste concelho, porque as pessoas estão a aderir de uma forma entusiástica”.

Agradecimento a 77 trabalhadores da Câmara

Em relação aos seus funcionários, a autarquia entregou quatro medalhas com o título Medalha Municipal de Dedicação. Foram agraciados Fernanda Rôlo, Isabel Conceição, Luís Benzinho e Luísa Lopes, já que fizeram a diferença ao nível da competência, da decisão e do espírito de iniciativa. “Sinto-me lisonjeada e orgulhosa por esta medalha. Espero continuar a trabalhar para que não se arrependam de ma terem dado”, disse Isabel Lopes, ao DIÁRIO DA REGIÃO.
De forma mais simbólica, foram homenageados mais 73 empregados da autarquia, através da Medalha Municipal de Serviço Prestado. Aos sessenta, que já cumpriram 15 anos de serviço, coube a medalha de cobre. Aos seis que finalizaram 25 anos correspondeu o grau prata, enquanto os sete que já cumpriram 35 anos de serviço receberam a medalha de grau ouro.
As condecorações foram validadas anteriormente pela Comissão Municipal de Condecorações e pela Assembleia Municipal e as medalhas foram entregues por todo o executivo e por Ana Teresa Vicente, presidente da Assembleia Municipal de Palmela. Os discursos foram feitos por Álvaro Amaro e Ana Teresa Vicente. Ambos reconheceram a dedicação de todos, no contexto da valorização, identidade e desenvolvimento do concelho.
Em relação aos funcionários que receberam a Medalha Municipal de Dedicação, Ana Teresa Vicente confessou: “Aprendi muito convosco ao longo de 20 anos” . Para a mesma, e referindo-se ao concelho, “ a sua história é um bocadinho feita pelas vossas mãos”.
De uma forma mais geral, a presidente da Assembleia Municipal observou: “Uns são Palmelões, outros são Palmelenses. Uns nasceram em Palmela para viver e outros escolheram Palmela para trabalhar. Palmela deve-vos muito. A grandiosa história de um concelho como este só pode ser feita disto mesmo, desta diversidade e das capacidades que cada um tem usado nas áreas mais diversas do saber e nas actividades desenvolve”.

Distinguidos com a Medalha Municipal de Mérito

Aniversário
Medalha Municipal de Mérito – grau cobre
. Associação Carnavalesca Amigos de Baco
. Associação de Dadores de Sangue do Poceirão
. PIA – Projecto de Intervenção Artística
. TELA – Teatro Estranhamente Louco e Absurdo

Associativismo e Cidadania
Medalha Municipal de Mérito – grau ouro
. Álvaro Amaro
. José António Guerreiro
. Ulisses Machado

Cidadania e Solidariedade
Medalha Municipal de Mérito – grau ouro
. António Alpendre
. Carlos Taleço
. Guilherme José Abreu Bettencourt
. Manuel Batista

Cultura
Medalha Municipal de Mérito – grau ouro
. Luís Cangueiro

Desporto – Prémio Carreira
Medalha Municipal de Mérito – grau ouro
. Simone Fragoso

Desporto
Medalha Municipal de Mérito – grau Cobre
. André Rangel
. André Viana e Daniela Marreiros
. António Branco
. Bernardo Pereira
. Bruno Pessoa
. Escola Secundária de Pinhal Novo
. Filipa Rodrigues
. Joana Branco
. João Mário Anjos e Ana Clara Correia
. Leonor Medeiros
. Nuno Martins
. Paulo Gomes
. Pedro Neves e Sofia Oliveira
. Ricardo Ferreira
. Rodrigo Balseiro e Lisa Jesus
. Rui Narigueta
. Sérgio Ferreira
. Tiago Assunção
. Tiago Romão
. Jorge Miguel da Silva Caleira

Economia e Comércio Tradicional
Medalha Municipal de Mérito – grau ouro
. António Brinca
. António Pais Pereira (a título póstumo)
. Eugénio Vale e Sérgio Vale, Loja de Adelino Matos do Vale Lda.
. Horácio Simões
. José Manuel Fonseca Porfírio
. Maria Isilda Carvalho
. Restaurante Pérola da Serra
. Loja do Jaime, em Cabanas

Turismo para o Desenvolvimento Sustentável
Medalha Municipal de Mérito – grau Cobre
. Biovilla, Sustentabilidade

Deixe uma resposta