Trabalhadores da Amarsul avançam com dois dias de greve

Regional Últimas B

Os trabalhadores da Amarsul, responsável pelo tratamento e valorização dos resíduos urbanos da margem sul, vão realizar dois dias greve, exigindo o aumento dos salários e o respeito dos direitos inscritos no acordo de empresa, anunciou hoje, 02, o sindicato.

“Os trabalhados da Amarsul vão realizar uma greve das 00:00 às 24:00 do dia 14 de Junho e das 00:00 às 24:00 do dia 16 de Junho”, anunciou o Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Actividades do Ambiente do Sul (Site-Sul).

Segundo o sindicato, os trabalhadores exigem o aumento dos salários e subsídios, o respeito dos direitos inscritos no acordo de empresa e defendem a reversão da privatização dos serviços de tratamento e valorização de resíduos.

Segundo o documento do pré-aviso de greve, os trabalhadores estão também “contra a continuada distribuição de dividendos impostas pelo accionista maioritário Mota-Engil SA da riqueza criada pelos trabalhadores e pela distribuição das mais valias criadas de formas justa e equitativa”.

Em Julho de 2015, a Amarsul passou a integrar o grupo Mota-Engil por via da aquisição da Empresa Geral de Fomento (EGF), detentora de 51% do capital social da Amarsul.

A Amarsul é responsável pelo tratamento e valorização dos resíduos urbanos dos nove municípios da Península de Setúbal (Alcochete, Almada, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Seixal, Sesimbra e Setúbal).

Deixe uma resposta