As autárquicas no Montijo e a promessa de… eleitor

Opinião

Os meses que se aproximam serão pródigos, como é usual, em promessas, ditas eleitorais, oriundas de todos os quadrantes políticos, sem excepção. Quanto a isso já pouco haverá a fazer, tratando-se de uma inevitabilidade. Umas ilusões, algumas utopias, certas megalomanias, pouca modéstia, parco realismo, reduzida viabilidade, curto pavio, mas tudo com muitíssima boa vontade, de todos os protagonistas ou meros figurantes, creio!
O hiato entre ideias e ideais é vasto e, acima de tudo, deveria prevalecer o senso – o bom, mas enfim, venham de lá, pelo menos, essas ideias e, … depois logo se vê!
Tudo isto já é um pouco visível em cartazes, nas páginas deste e de outros órgãos de imprensa local, em discursos, em cerimónias, em inaugurações, em espectáculos, em eventos, em reuniões, em sessões, em meras conversas de circunstância. E, ainda, faltam … as Festas, pois não há melhor do que poder contar, também, com ajuda de um Santo, no caso Pedro de seu nome. Todos os apoios serão poucos, nunca se sabe.
E porque quanto mais a luta aquece mais força tem a promessa que aparece, é expectável que desde o aeroporto a um novo hospital, passando por tantas outras infra-estruturas, tudo em bom e em grande, quase nada faltará para tentar cativar o eleitor Montijense e o seu respectivo voto.
Mas quando tanto se fala de empreendedorismo, inovação e criatividade, afigura-se-me que nós (Montijo) podemos e devemos marcar a diferença nestas autárquicas, correspondendo também ao apelo, do último fim-de-semana, do Senhor Primeiro Ministro – Dr. António Costa, ou seja, a tal campanha autárquica que se pretende dinâmica e criativa!
E porque no Montijo é pela diferença, no trabalho, na iniciativa, na honestidade, na competência, crendo e querendo sempre muito, mais e melhor para a nossa terra, que nos devemos afirmar, seja por terra, pelo rio ou pelo ar, este eleitor deixa aqui uma promessa, sem que algo em troca vos peça, fazendo, simplesmente, acontecer!

A Promessa de um Eleitor (identificado)

No dia da tomada de posse do futuro Presidente da Câmara Municipal do Montijo, independentemente de ter merecido (ou não) o meu voto, farei chegar-lhe um Plano de Acção para o Comércio de Proximidade para o Concelho do Montijo (2018-2022), o qual contemplará, também, um Plano de Acção Comercial para o nosso Mercado Municipal.
Não acreditando muito na figura dos chamados independentes, estou certo que no Montijo há abertura para divulgar e colocar em debate as promessas … dos eleitores, ou seja, será uma forma mais subtil de se envolver e responsabilizar o cidadão, munícipe e eleitor que, porventura, não se reveja, total ou parcialmente, em qualquer uma das forças políticas que se apresentam a votos nem tão pouco nas suas ideias, nos seus projectos, enfim, nas suas promessas.
Portanto, neste caso, avanço com uma promessa de eleitor, que pretendo cumprir e, acima de tudo, fazer cumprir, em nome da “não dependência” deste eleitor que, todavia, não se abstém.
A inovação desta ideia residirá, tão só, no facto de que esta minha promessa não depende do resultado das eleições. Ganhe quem ganhar, a promessa vai avançar. Pode ser que a moda pegue e que cada eleitor comece, desde já, a apresentar as suas promessas! A tal dinâmica (…)!
Desejo uma boa campanha para todos – candidatos, militantes, simpatizantes, eleitores, munícipes, cidadãos, independentes, … “não dependentes” e, muito em especial, para todos os Montijenses.

2 comments

  1. Já existem Propostas de Plano de Acção para o Comércio de Proximidade e Plano de Acção Comercial ; Será mais uma, Bem vinda ! ; O anúncio de ínicio de Procedimento e o Procedimento serão discutidos,aprovados e publicitados para os legais e devidos efeitos !…

Deixe uma resposta