Mostra Internacional de Teatro leva 15 espectáculos ao litoral alentejano

Local B Regional B Sociedade

A 18.ª edição do certame tem abertura oficial agendada para 2 de Junho e vai passar também por Setúbal e Lisboa. A organização é da Associação Juvenil de Amigos do Grupo Amador de Teatro de Santo André (AJAGATO)

O litoral alentejano recebe, a partir de sábado, 15 espectáculos de teatro de companhias nacionais e estrangeiras, que ao todo vão apresentar 30 sessões ao longo de um mês dedicado às artes cénicas.

São 12, as localidades do litoral alentejano, às quais se juntam ainda as cidades de Setúbal e de Lisboa, que vão receber espectáculos no âmbito da 18.ª edição da Mostra Internacional de Teatro de Santo André (MITSA), promovida pela Associação Juvenil de Amigos do Grupo Amador de Teatro de Santo André (AJAGATO).

A companhia polaca Warsaw Mime Center estreia-se em território português na MITSA, com o espectáculo de teatro físico “Água de Lágrimas”, inspirado na obra “Perfume”, de Patrick Süskind, que vai ser levado à cena em Vila Nova de Santo André, em Sines e em Setúbal.

De fora do País, regressam à mostra grupos que já passaram pelo festival, como a companhia colombiana Casa del Silencio e o grupo espanhol Les Bouffons, que vão apresentar também espectáculos de teatro físico.

Além desse tipo de linguagem cénica, a MITSA volta a propor diversidade de grupos, de estilos, de técnicas e de géneros teatrais, já característicos da programação do festival.
A intenção, disse à agência Lusa o director artístico da MITSA, Mário Primo, é “despertar na população o interesse genuíno por esta forma de arte” e proporcionar “o contacto com o teatro de grande qualidade”.

“Vivemos num período de iniciativas ‘fast food’ e de muito fogo de vista, muita superficialidade e a mostra é uma manifestação que existe há 18 anos um pouco ao arrepio deste princípio”, disse o mesmo responsável, que afirmou que a MITSA tem resistido a “ir atrás de ‘modismos'”, aproveitando para destacar que o evento nasceu de “uma escola”. O diretor artístico do festival referia-se à Escola Secundária Padre António Macedo (ESPAM), em Vila Nova de Santo André, cujo auditório, com cerca de 180 lugares, é o palco principal da MITSA.

Infra-estrutura, precisa-se

A construção de um “edifício de raiz” na cidade é algo que tem defendido, para “garantir a continuidade a médio-longo prazo” da MITSA, que, no ano passado contou com “mais de 5 500” espectadores, número semelhante a 2015.

A MITSA começa no sábado, às 22h00, com o espectáculo de rua, de acesso livre, “Outcast”, pela companhia siniense Teatro do Mar, no parque central, em Vila Nova de Santo André, mas a “abertura oficial” do evento está agendada para 2 de Junho, com “Electra”, pela Companhia do Chapitô, no auditório da ESPAM.

De regresso à mostra estão também as companhias portuguesas A Barraca, ESTE, Estação Teatral, Companhia da Esquina, Peripécia Teatro, Teatro Meridional e Teatro de Montemuro.
Para os mais novos, a Companhia de Teatro de Almada propõe “As Aventuras de Guinhol”, o Teatro do Bairro em parceria com o Teatro da Trindade levam à cena “Vanessa vai à luta” e a contadora de histórias Ana Sofia Paiva convida para “Contos, Cantos e Outros Tantos”.

A completar o programa de espectáculos da MITSA há exposições, oficinas dirigidas pelo colombiano Juan Carlos Agudelo e pelo polaco Bartlomiej Ostapczuv e uma palestra por Ángela Valderrama.

Com a maioria dos espectáculos em Vila Nova de Santo André, a 18.ª MITSA leva também teatro a Santiago do Cacém, Cercal do Alentejo, Ermidas, São Francisco, São Domingos, Sines, Porto Covo, Grândola, Odemira e São Teotónio e, fora do litoral alentejano, a Lisboa e Setúbal.

DIÁRIO DA REGIÃO/Lusa

Deixe uma resposta