Barreiro: Morreu António Cabós Gonçalves

Local Últimas B Últimas C

António Cabós Gonçalves, fundador do Partido Socialista do Barreiro e personalidade reconhecida em todo o concelho, faleceu hoje, 20, no Hospital do Barreiro.

“Eu sou do Barreiro e estou cá para o Barreiro, e do Barreiro não quero nada mas quero dar ao Barreiro aquilo que puder”, é uma das suas frases emblemáticas.

O militante número 129 foi eleito diversas vezes como autarca, na Assembleia Municipal do Barreiro, e foi candidato à junta de freguesia do Barreiro.

Pai de dois filhos e solicitador de profissão, sempre foi um activista cívico e um homem de causas, com o Barreiro a perder um barreirense de coração.

Foi orador em diversos comícios no verão quente, a pedido do Mário Soares, com quem trabalhou, e animava as massas antes dos discursos centrais.

Registou-se como simpatizante nas primárias, depois de se afastar em 2012, mas pediu a refiliação como último desejo antes de morrer. Apoiou Carlos Humberto de quem dizia ser um grande barreirense. Ia ser mandatário do Frederico Rosa, candidato do PS à Câmara Municipal do Barreiro nas eleições deste ano.

“O António deixou-nos hoje e deixou-nos tantas coisas para os dias que hão de vir. Uma vida cheia a amar direito e pensar ao contrário. Morreu um homem que viveu como quis”, afirmou André Pinotes Batista, presidente do PS Barreiro, numa mensagem publicada nas redes sociais.

O ministro-adjunto Eduardo Cabrita, também um histórico do PS Barreiro, deixou uma mensagem de homenagem a Cabós Gonçalves: “O Cabós foi sempre uma das nossas vozes. Temos o dever de continuar a fazer dele a nossa voz sempre ao nosso lado”.

À família e ao PS Barreiro, o DIÁRIO DA REGIÃO apresenta as suas sentidas condolências.

Deixe uma resposta