Vitória ineficaz perde com Boavista no adeus de Meyong ao Bonfim

Desporto

O Vitória perdeu hoje, dia 15, com o Boavista, por 0-1, na partida de encerramento da 33.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol. Além de ter somado a quinta derrota consecutiva no campeonato, os sadinos, com apenas uma partida por disputar (Nacional), sabem já que não vão conseguir atingir a fasquia dos 40 pontos no final da temporada. O golo apontado pelo axadrezado Iuri Medeiros, aos 25 minutos, impediu que o avançado Meyong, que pendura as botas no final da época, se despedisse do Estádio do Bonfim com um triunfo.

O técnico dos sadinos operou uma revolução no onze, mantendo apenas quatro jogadores – Vasco Fernandes, Fábio Cardoso, Nuno Pinto, Costinha – que foram titulares na jornada anterior (derrota 2-1 em Tondela). No Boavista, o destaque vai para a estreia do chinês Aidi, que reforçou os axadrezados em Janeiro. Com apenas um triunfo (2-0) nas últimas 14 jornadas, os sadinos entraram melhor e estiveram perto de inaugurar o marcador aos 15 minutos, momento em que Nuno Santos, à ‘boca da baliza’, falhou, após assistência de Arnold na direita.

Na resposta, aos 25 minutos, os ‘axadrezados’ chegaram ao golo através de Iuri Medeiros numa altura em que os sadinos tinham ascendente. Uma assistência primorosa de Talocha, permitiu ao extremo ganhar em velocidade a Nuno Pinto e, com Trigueira pela frente, fez um chapéu ao guarda-redes, inaugurando o marcador.

Os sadinos acusaram o golo e cometeram erros que só não tiveram consequências mais graves devido a um par de intervenções de Vasco Fernandes, que impediu Iuri Medeiros e Renato Santos de faturarem aos 37 minutos. Junto da baliza de Vagner, o sadino Zé Manuel era a principal ameaça, mas, aos 33 e 35 minutos, o avançado cedido pelo FC Porto não teve a pontaria necessária para repor a igualdade antes do intervalo.

Depois de um início de segundo tempo ‘morno’, José Couceiro lançou Edinho e João Carvalho, aos 56 e 58 minutos, para os lugares de Meyong e Pedro Pinto. A tentativa de espevitar o ataque quase surtiu efeito, aos 62 minutos, mas Zé Manuel falhou a emenda ao segundo poste, após canto na esquerda.

A vencer por 0-1, o Boavista geriu a vantagem sem sobressaltos sem nunca deixar de visar a baliza de Trigueira, guardião que teve em Iuri Medeiros a principal ameaça. Nos últimos 15 minutos do encontro, o Vitória apostou tudo para chegar à igualdade, mas a ineficácia impediu a equipa de José Couceiro de o conseguir. Aos 79 minutos, Edinho e Zé Manuel (o mais perdulário em campo) falharam a emenda ao cruzamento de Nuno Pinto.

À beira do fim, os sadinos tiveram duas oportunidades flagrantes para marcar. Edinho, 89 minutos, e Nuno Santos, 90, falharam a baliza de Vagner, não evitando a conquista dos três pontos para o Boavista. A derradeira oportunidade dos sadinos para marcar surgiu, aos 89 minutos, num livre directo de Edinho que passou ao lado do poste direito do Boavista.

Deixe uma resposta