Militar da GNR envolvido em incidente nas finanças do Montijo constituído arguido

Local Últimas B Últimas C

O militar da GNR que imobilizou e deteve um homem na repartição de finanças do Montijo foi constituído arguido, estando indiciado pelo crime de abuso de poder, disse à Lusa a Procuradoria-Geral da República (PGR).

“Confirma-se a constituição de arguido. Em causa estão factos que poderão integrar a prática de crime de abuso de poder”, respondeu a PGR à Lusa.

O incidente ocorreu na terça-feira na repartição de finanças do Montijo quando um cidadão foi imobilizado, com a técnica conhecida como ‘mata-leão’, por um militar da GNR à civil que, posteriormente, o deteve.

O caso foi tornado público pelo próprio envolvido, que fez um vídeo para as redes sociais a informar que estava na repartição de finanças para resolver questões relacionadas com o IRS.

Entretanto, a ministra da Administração Interna determinou à Inspecção-Geral da Administração Interna (IGAI) a abertura de um inquérito às circunstâncias que levaram o militar da GNR a imobilizar e deter o cidadão.

Logo na terça-feira, a GNR já tinha anunciado a abertura de um processo de inquérito para “averiguar as circunstâncias da detenção do cidadão para apuramento de eventuais responsabilidades”, tendo em conta as imagens difundidas.

2 comments

  1. concordo muitos agentes de autoridade usam a farda como abuso de poder na se pode bater em ninguém só tem que ser castigado

    1. É um insulto à farda caso não seja demitido e expulso. Se. a polícia pactua com estas atitudes, não estranhem ser injustiçados todos os policias que nos protegem e são cumpridores da lei.

Deixe uma resposta