Aprovado estacionamento gratuito para o Seixalinho [ACTUALIZADA]

Local Últimas C

O executivo camarário aprovou na reunião pública de quarta-feira, 10, a celebração de um protocolo com a Transtejo para que o estacionamento no cais do Seixalinho passe a ser gratuito. A proposta foi apresentada por Nuno Canta, presidente da Câmara Municipal do Montijo, e aprovada pelos votos favoráveis de PS e CDU e a abstenção da bancada do PSD.

A autarquia fica responsável por assegurar a manutenção e custos inerentes ao funcionamento do espaço, como água e iluminação pública, entre outros. Em troca, o estacionamento automóvel no local deixa de ser pago pelos utentes.

O protocolo vai vigorar até final de 2021, a Câmara Municipal do Montijo “vai ficar responsável pela realização de um conjunto de intervenções, como a reparação de pavimentos pedonais no parque e na envolvente do edifício do terminal fluvial, a intervenção nos pavimentos betuminosos nas vias de circulação de acesso ao parque, a reparação da iluminação pública, a colocação de pilaretes e de nova arborização”. Além disso, a edilidade irá assumir encargos com limpeza, iluminação pública, entre outros.

A oposição, apesar de viabilizar o documento, deixou alguns reparos à gestão socialista. Pedro Vieira, vereador eleito pelo PSD, considerou a proposta como “manobra eleitoralista”, reforçando que a transferência do terminal fluvial do cais dos Vapores para o Seixalinho foi um erro.

O social-democrata apontou também que o protocolo carece de um estudo de viabilidade económico-financeira. “Quanto vai custar a manutenção ao município?”, questionou Pedro Vieira.

“É muito variável. Um ano depois, saberei dizer-lhe”, retorquiu Nuno Canta.
A CDU, pela voz do vereador Carlos Jorge de Almeida, também questionou e criticou a ausência de indicadores que permitam uma previsão sobre os custos que a autarquia terá de suportar ao assumir toda a gestão do espaço.

Até porque, lembrou o comunista, a Câmara fica responsável por todos os investimentos necessários realizar no local. “É o vale-tudo das eleições para conseguir perpetuar o exercício do poder pelo poder”, disse Carlos Jorge de Almeida, em relação à proposta apresentada.
O vereador acrescentou que a CDU renegociará o acordo com a Transtejo, caso vença as próximas eleições.

Deixe uma resposta