No capricho de não dispensar uma opinião

Opinião
Valdemar Santos

Valdemar Santos

Militante do PCP
Valdemar Santos

Latest posts by Valdemar Santos (see all)

Uma simples reportagem jornalística diria que de novo o Refeitório dos Serviços Operacionais da Câmara Municipal do Seixal acolheu, a 28 de Abril, um almoço-convívio comemorativo do 43º aniversário do 25 de Abril, por iniciativa da Direcção da Associação dos Trabalhadores dos Serviços Sociais do Município.

  Perante cerca de 200 presenças, coube a Almira Santos, Presidente desta, fazer a apresentação das intervenções que antecederam a partilha do bolo de parabéns.

A seu lado estiveram membros dos ORT’s, entre os quais João Barata, da Comissão Sindical (STAL), que não deixou de assinalar aquele mesmo dia como o Dia Nacional da Prevenção e Segurança no Trabalho, os Presidentes da Junta de Freguesia da Amora e da União das Freguesias do Seixal, Arrentela e Paio Pires, e os Presidentes da Assembleia e da Câmara Municipal.

Joaquim Santos, Presidente da edilidade, o segundo orador, evocou as “Portas que Abril Abriu”, de Ary dos Santos, e não escondeu orgulho em caracterizar a participação do concelho no Desfile do 25 de Abril, em Lisboa, dada a expressiva correspondência dos munícipes ao Apelo da Comissão Promotora e a diversificada composição de elementos de animação, quer de carros alegóricos, quer de grupos musicais que percorreram a Avenida da Liberdade, como “uma manifestação dentro da manifestação”.

A encerrar a iniciativa falou então o Comandante Almeida Moura, Militar de Abril, em representação da Associação Conquistas da Revolução.

Recordou o papel do General Vasco Gonçalves no período que restará como um dos mais exaltantes da História secular de Portugal, aquele que antecedeu a Revolução dos Cravos com a tomada de consciência dos militares e, no tempo que haveria de lhe caber, a Aliança Povo-MFA saída à rua, a qual a recuperação capitalista, latifundiária e imperialista coerentemente definiu como o inimigo número um a abater o mais depressa possível

O papel dos trabalhadores na defesa do Poder Local Democrático, dos seus direitos e na melhoria das condições de vida das populações foi elemento comum, com o apelo a nova participação nas Comemorações do 1º de Maio da CGTP-IN, elas também as 43ªs em Liberdade!

Agora, como que, enfim, opinião, a de Almeida Moura: “Comemorar o 25 de Abril é sempre uma convocatória a cada um de nós, termos presente ou procurarmos saber de onde viemos, quem somos, para onde vamos”.

Deixe uma resposta