Casa Ermelinda Freitas e Adega de Pegões voltam a ser os mais premiados no Concurso de Vinhos

Local Regional Últimas

CONCURSO DE VINHOS DA COMISSÃO VITIVINÍCOLA REGIONAL DA PENÍNSULA DE SETÚBAL (CVRPS)

Bacalhôa – Vinhos de Portugal ficou em terceiro lugar, com sete medalhas, entre elas as de Melhor Vinho e Melhor Vinho Generoso e Melhor Vinho Rosado do concurso

 

A Casa Ermelinda Freitas, com 14 medalhas, e a Adega de Pegões, com 10, voltaram a ser as empresas mais premiadas no Concurso de Vinhos da Península de Setúbal, cuja entrega de prémios da 17.ª edição decorreu na Igreja de Santiago, no Castelo de Palmela, quinta-feira à noite.

Em terceiro lugar no ranking sagrou-se a Bacalhôa – Vinhos de Portugal, com sete vinhos premiados e dois deles no top dos cinco melhores do concurso: Melhor Vinho e Melhor Vinho Generoso e Melhor Vinho Rosado.

O XVII Concurso de Vinhos da Península de Setúbal, organizado pela Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal (CVRPS), atribuiu nesta edição um total de 46 medalhas – das quais 15 de Ouro e 31 de Prata –, tendo recebido 148 amostras de vinhos para prova, de 22 produtores da região.

O júri, composto por técnicos das várias regiões vitivinícolas portuguesas, Associação Portuguesa de Enologia, Associação de Escanções de Portugal e ASAE, imprensa da especialidade e representantes da restauração, num total de 22 provadores, esteve reunido em provas, durante dois dias, na Casa Mãe da Rota dos Vinhos da Península de Setúbal, em Palmela.

“Mais uma vez batemos o recorde de vinhos a concurso e do número de empresas que obtiveram prémios. É um sinal da dinâmica da região que nos últimos anos tem conhecido fortes investimentos na restruturação e replantação de vinha e em novas técnicas de cultivo com o intuito de dar continuidade às antigas tradições vitivinícolas, tornando-se uma região atractiva para a produção de vinhos de qualidade”, disse Henrique Soares, presidente da Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal.

Entre os cinco melhores do concurso, destacaram-se os vinhos da Bacalhôa Moscatel de Setúbal Superior 2002, com os prémios de Melhor Vinho Generoso e Melhor Vinho, e o Serras de Azeitão Syrah 2016, como Melhor Vinho Rosado. Da Cooperativa Agrícola Santo Isidro de Pegões brilharam o Adega de Pegões Syrah 2013, com o prémio de Melhor Vinho Tinto, e o Adega de Pegões Colheita Seleccionada 2016 como Melhor Vinho Branco.

As medalhas de ouro foram para os vinhos da Casa Ermelinda Freitas (quatro), Adega de Pegões (duas) e Bacalhôa – Vinhos de Portugal, Filipe Palhoça Vinhos, Resigon – Companhia Agrícola e Gestão e Quinta do Piloto, todos com uma medalha cada.

Já as medalhas de prata foram entregues à Casa Ermelinda Freitas (nove), Cooperativa Agrícola Santo Isidro de Pegões (cinco), Bacalhôa – Vinhos de Portugal (quatro, um deles o Moscatel Roxo 5 Anos medalha de prata na categoria dos Generosos), José Maria da Fonseca Vinhos (dois, um deles o Alambre Moscatel Roxo 2011 medalha de prata na categoria dos Generosos) e à Quinta do Piloto, SIVIPA – Sociedade Vinícola de Palmela, Adega Cooperativa de Palmela, ASL Tomé – Sociedade Vinícola, Malo-Tojo Estates, Xavier Santana Sucessores, Filipe Palhoça Vinhos, Fernando Santana Pereira Unipessoal, Maria Jacinta Nunes da Costa Gomes Sobral e Resigon, todos com uma medalha cada, tendo a Resigon obtido ainda a Medalha de Prata na categoria dos Generosos com o vinho Brejinho da Costa Moscatel Roxo de Setúbal 2010.

 

Deixe uma resposta