O raio que os parta a todos!

Opinião

O fulano é uma personalidade complicada. Ofendeu, mas acha que o ofenderam. Chocou, mas diz-se chocado. E não pede desculpas porque se considera credor delas.

Um tipo bem-parecido, desempenado, elegante, um charmoso, no dizer do mulherio maduro, ministro do seu país e alto dirigente europeu, bem instalado na vida, de que mais precisará para ser feliz, cortês e respeitador dos outros? Vai-se a ver, é de uns copos de bom tinto ou branco, que ele não tem e jamais terá na terra muito bem organizada onde nasceu. Ou então, é de uns calorosos conchegos com mulheres, de que o jeitoso estará carecido vá lá saber-se porquê, já que fêmea de homem é material que sobeja na sua mui civilizada Holanda, onde as expõem em montras para freguês comprar.

O que não falta numa parte da Europa proclamada comunitária, unida e solidária, é tropa desta, que se diverte a colar rótulos indignos e a amesquinhar a outra parte dos europeus. Vendem-lhes muito mais do que lhes compram, enriquecem à custa do desequilíbrio altamente favorável para as suas balanças comerciais, ao mesmo tempo que vão apoucando à medida dos humores e ditando leis e impondo sanções que impedem o desenvolvimento e empobrecem ainda mais os que já são pobres. Dijsselbloem e Schäuble têm sido dos mais expeditos e encarniçados porta-vozes da imaculada irmandade que se conluia na ofensa às nações do sul, com vilezas do mais reles calibre. A moléstia de que padecem tem um nome: xenofobia. São xenófobos empedernidos, estes fulanos. Se quem nos representa não o diz, digamo-lo nós, que somos os diretos destinatários dos continuados remoques e insultos desta corja.

Lembro o nosso Almada Negreiros e a sua diatribe ao Dantas, e apetece-me desancar este holandês de olhar raposino, ar de rapazola levantado e lata de charlatão de feira:

 

O Dijsselbloem é um tartufo arrogante!

O Dijsselbloem cheira mal da boca!

O Dijsselbloem usa cuecas de renda com lacinhos!

O Dijsselbloem calado é um poeta!

O Dijsselbloem é um estafermo!

O raio que parta o Dijsselbloem!

Pim!

 

É que estou mesmo zangado com os Dijsselbloem e os Schäuble desta vida. Se os tipos são europeus, eu quero ser asiático. O raio que os parta a todos! Pim!

One comment

  1. o vôo…

    o vôo
    o vôo pode ser visto
    mas não pode ser dito
    o vôo dos pássaros
    está além das palavras
    o poema
    que é dedo de poeta
    aponta para o vôo do pássaro
    que está além das suas palavras…
    liberdade de consciência
    sedutora aos olhos dos homens
    liberdade humana
    os homens dizem amar a liberdade
    mas de posse dela
    são tomados por medos
    fogem para abrigos seguros
    (gaiolas)
    a liberdade é amedrontadora
    pássaros que amam o vôo
    mas têm medo de voar…
    saudade, uma nostalgia de belezas,
    o fascínio do perigo
    e o vazio que se abre…
    sonhamos o vôo, mas tememos as alturas
    para voar é preciso amar o vazio…
    (não ter gaiolas)
    o vazio é o espaço da liberdade,
    a ausência de certezas
    a ausência de gaiolas
    as gaiolas são o lugar onde as certezas moram
    há homens que preferem as gaiolas ao vôo
    são eles mesmos que constroem as gaiolas
    onde passarão as suas vidas…
    alguns vivem numa gaiola de palavras
    gostam dela
    não se sentem engaiolados
    sentem-se protegidos…
    quando as gaiolas são feitas de ferro
    é fácil perceber a prisão
    os prisioneiros sonham
    o tempo todo com fugas…
    a tentação dos absolutos
    característica universal do espírito humano
    todos queremos possuir a verdade
    para possuir a verdade
    é preciso que se a engaiole
    e para engaiolar a verdade
    é necessário engaiolar a liberdade e o pensamento….
    é urgente o vôo !!! …

Deixe uma resposta