25 de Abril: “No Barreiro nunca desistimos de lutar”

Local Últimas C

Na intervenção no âmbito das Comemorações do 43.º aniversário do 25 de Abril no Parque da Cidade, o presidente da Câmara, Carlos Humberto, lembrou que o Barreiro foi uma terra que nunca desistiu de lutar contra a ditadura e o fascismo.

“Passaram 43 anos da madrugada do 25 de Abril de 1974. A data que hoje comemoramos é uma das mais marcantes da história de Portugal, da história da nossa Pátria. O 25 de Abril é Liberdade, é Democracia, é Descolonização, é Desenvolvimento, é Direitos, é mais Equidade, é Constituição da República Portuguesa, é Poder Local, é mais qualidade de vida””, disse o presidente da autarquia.

O autarca realçou que “o Barreiro é Abril de 74 porque aqui, e durante 48 anos de ditadura fascista, nunca desistimos de intervir, combater, lutar, propor, construir. Aqui, na nossa terra construímos resistência, luta pelo associativismo, democrático e plural, luta pela cultura, pelo desporto, por lazer, por direitos dos trabalhadores, das populações, por equidade”.

“Aqui no Barreiro, lutámos por Democracia, por Liberdade, por Descolonização, por Solidariedade. No Barreiro não abdicamos! Por isso nos custou tão caro a construção do 25 de Abril. Tivemos repressão. Fomos uma terra ocupada. Fomos uma terra torturada”, acrescentou.

Carlos Humberto lembrou que no Barreiro ocorreram “perseguições, despedimentos, prisões, torturas e assassinatos”, mas que sempre se disse “não à ditadura e não ao fascismo”.

“Por isso reafirmo como são importantes as memórias, a história, mas também, as estórias. Temos que as preservar, valorizar. Trazê-las para o presente, para o futuro, explicá-las às nossas gentes, ao nosso povo”, defendeu.

O autarca disse ainda que não se pode aceitar que “em Portugal não sejam os portugueses a mandar”.

“Por isso reafirmamos que Portugal tem que conseguir ultrapassar e recusar os constrangimentos externos a que nos querem obrigar. Portugal e os portugueses, para cumprirem Abril, para serem livres, tem que ter a capacidade de decidir do seu próprio destino”, concluiu.

Concerto de Pedro Abrunhosa e Marcha pela Liberdade

Antes da intervenção do autarca, decorreu no Parque da Cidade um concerto com Pedro Abrunhosa e Comité Caviar, que atraiu muitas pessoas ao local. A noite continuou com uma actuação de Tony da Costa, na Tenda do Parque da Cidade.

A noite tinha começado com o já tradicional Desfile pela Liberdade, que juntou centenas de pessoas num percurso desde a Avenida de Santa Maria até ao Parque da Cidade, organizado pela Câmara Municipal do Barreiro, pela Junta e Uniões de Freguesia e pelo Movimento Associativo do concelho.

 

Deixe uma resposta