Pinhal Novo instala Chaimite como monumento ao 25 de Abril

Local Últimas B Últimas C

Viatura militar chega à vila no domingo e fica definitivamente estacionada na Praça Movimento das Forças Armadas

O lado Sul da vila de Pinhal Novo, concelho de Palmela, vai ter uma Praça Movimento das Forças Armadas decorada com uma Chaimite, a viatura militar usada pelas forças que fizeram o 25 de Abril de 1974.

O veículo, cedido à Câmara Municipal de Palmela pelo E.M. Exército – Unidade de Apoio Geral de Material do Exército, chega à Rua Infante D. Henrique no próximo domingo, dia 23, às 10h30 da manhã.

A Chaimite MX-57-44 ficará instalada no local conhecido como Adega Pires ou JP Vinhos, entre a Sociedade Filarmónica União Agrícola (SFUA) e o Pavilhão Desportivo Municipal de Pinhal Novo, que é baptizado como Praça Movimento das Forças Armadas (MFA).

O veículo, historicamente associado à Revolução de Abril, ficará transformado em monumento evocativo que, em conjunto com a praça, presta homenagem aos militares que depuseram Marcelo Caetano e a ditadura iniciada por Salazar.

A viatura que ficará definitivamente instalada no Pinhal Novo foi totalmente restaurada pelo Exército e está completa, embora desarmada, uma vez que as peças de tiro foram retiradas.

A nova praça, com este monumento, fica exactamente na praceta entre os prédios cor-de-rosa.

Local onde ficará instalado o equipamento

Blindado símbolo do 25 de Abril

A Chaimite ficou como o veiculo blindado da Revolução de Abril, pela posição que assumiram no Largo do Carmo, em Lisboa, onde se encontrava o presidente do Conselho de Ministro, no dia 25 de Abril de 1974 e também por ter sido a viatura usada para transportar o chefe-de-governo, Marcelo Caetano, cuja rendição pós fim à revolução coroando de êxito a corajosa acção dos militares.

A seguir à revolução o Chaimite equipou, durante algum tempo o Regimento de Comandos e o Regimento de Artilharia de Lisboa (uma das principais unidades revolucionárias), tornando-se um dos símbolos do PREC. Posteriormente o Chaimite passou a equipar apenas as unidades de cavalaria vocacionadas para o reconhecimento. Nos anos 90, o Chaimite serviu também para equipar as forças portuguesas destacadas para a Bósnia e para o Kosovo.

O projecto de construção da Chaimite começou a ser desenvolvido no final da década de 1960 pela Bravia – Sociedade Luso-Brasileira de Veículos e Equipamentos, SARL para as Forças Armadas Portuguesas (cf., Motor Clássico nº 22). As Forças Armadas Portuguesas encontravam-se então envolvidas na Guerra do Ultramar e necessitavam de um veículo blindado adaptado às operações militares em curso.

Os primeiros veículos foram construídos em Belém (Lisboa), passando a produção posteriormente para a nova fábrica da Bravia, em Samora Correia, na região de Porto Alto. As primeiras unidades foram entregues já nos anos de 1970 e, em 1971, um primeiro lote é enviado para a Guiné-Bissau. FAR

Este slideshow necessita de JavaScript.

One comment

Deixe uma resposta