Pinhal Novo inaugura Centro de Transferência de Resíduos Valorizáveis

Local Últimas B Últimas C

Experiência piloto vai permitir que os cidadãos do concelho de Palmela depositem resíduos para reciclagem, com um volume superior ao admitido nos ecopontos. Medida pretende melhorar a imagem do espaço público e reduzir a poluição

 

O novo Centro de Transferência de Resíduos Valorizáveis de Pinhal Novo, sediado na Rua Luís de Camões, abre oficialmente ao público esta terça-feira, 11. Inserido no âmbito das políticas ambientais da Câmara de Palmela, o investimento municipal orçado em mais de 10 mil euros vai permitir que cada munícipe particular, residente no concelho de Palmela e especificamente na freguesia de Pinhal Novo deposite os resíduos valorizáveis de que já não necessita. Posteriormente, a autarquia assegura a separação e o encaminhamento dos resíduos para as centrais de compostagem.

No total, a área com uma dimensão de 2500 m² é constituída por cinco ecopontos para recolha de resíduos verdes/arbustos, monos e velharias (mobiliário), terras, entulhos e ainda um depósito de recolha de óleos alimentares usados. O centro destina-se exclusivamente a utilizadores domésticos, sendo que estes só podem depositar até 2m³.

Para Fernanda Pésinho, vereadora do executivo camarário de Palmela, o investimento no novo espaço justifica-se por três razões. Primeiro pelo facto de “o nível de cobertura de ecopontos no concelho e nesta freguesia especificamente estar abaixo do legalmente exigível. Em segundo, porque existe um incumprimento contratual da parte da Amarsul, que tinha a obrigação legal de construir um Ecocentro para recolha de resíduos valorizáveis e ainda não o fez. E em terceiro, como forma de melhorar a imagem do concelho, na medida em que a sua dispersão geográfica e populacional estava a propiciar actos ilícitos”, afirmou na conferência de imprensa de apresentação do centro.

Com a adopção desta medida, Fernanda Pésinho acredita que será mais fácil “controlar e contribuir para a redução da população, tarefa que temos o dever de travar e também sensibilizar para a valorização dos resíduos”. Questionada pelos jornalistas sobre os contactos entre a autarquia e a Amarsul, no sentido de se construir o futuro Ecocentro, Fernanda Pésinho explicou que “as duas entidades têm estado em conversações, mas que a Armasul tem alegado falta de verbas e dificuldades decorrentes da sua privatização”. Ainda assim, a vereadora adiantou que “a grande luta do município de Palmela se prende com a construção do Ecocentro, que é uma obrigação da Armasul, embora depois de monotorizadas as condições do novo centro não exclua a hipótese de alargar este serviço a outros concelhos”.

Já Manuel Lagarto, presidente da Junta de Freguesia de Pinhal Novo considera a inauguração do centro “uma grande mais-valia, porque apesar dos comportamentos menos próprios, muita gente já nos perguntava onde podia depositar os seus resíduos. Assim, além de haver uma selecção natural e acrescenta-se um serviço à população, na medida em que melhora a imagem do espaço público”.

O Centro de Transferência de Resíduos Valorizáveis de Pinhal Novo estará aberto ao público de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 17h e, aos sábados, das 9h às 13h.

Deixe uma resposta