Contas dos bombeiros do Seixal foram “descongeladas”

Local Últimas B Últimas C

A Associação Humanitária de Bombeiros Mistos do Concelho do Seixal anunciou hoje, 07, que foi “suspenso o arresto preventivo” das contas bancárias da associação, devido a um processo com um antigo funcionário.

“Por despacho judicial do Processo Especial de Revitalização (CIRE) foi suspenso o arresto preventivo do saldo das contas bancárias da associação, anulando o procedimento cautelar de arresto”, refere a associação em comunicado.

A associação anunciou a 30 de Março que o socorro estava posto em causa na zona, uma vez que as contas tinham sido “congeladas”, referindo que “nem para gasóleo” existiam verbas.

Esta situação surgiu depois de um processo em tribunal movido por um antigo funcionário da corporação, que acabou por ser despedido por alegado comportamento menos próprio, tendo este processado os bombeiros e vencido a causa, tendo direito a uma indemnização de cerca de 262 mil euros.

“Por decisão do Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa, Juízo do Trabalho do Barreiro foi estabelecido um Procedimento Cautelar referente ao processo de que é requerente Carlos David Abreu Silva, remetido ao Banco de Portugal e notificada a Associação de Arresto de Depósitos Bancários até ao saldo no montante máximo de 262.025,17 euros, mantendo-se todas as contas, a partir de 30 de Março, indisponíveis”, referiram os bombeiros na ocasião.

A Associação Humanitária de Bombeiros Mistos do Concelho do Seixal agradeceu o apoio que lhe foi prestado num momento difícil.

“Agradecemos a todos os trabalhadores, à população e especialmente à Câmara Municipal do Seixal o apoio que nos foi demonstrado, nesta fase complexa de um processo de difícil conclusão e ainda não resolvido”, acrescenta.

A corporação confirma ainda a “garantia de socorro na defesa dos bens e vidas da comunidade” que sempre manteve.

Deixe uma resposta