23.º Festival Queijo Pão e Vinho recebeu 18 mil visitantes

Local C Regional B

Certame gastronómico, que deu a conhecer os saberes e sabores da Arrábida, entre sexta-feira e domingo passado, foi “o mais participado dos últimos anos e um dos melhores de sempre”. Luís Calha, vereador da Cultura e Turismo, diz que o segredo do sucesso se deveu à “qualidade e diversidade do programa”

 

A 23ª edição do Festival Queijo, Pão e Vinho, que decorreu no último fim de semana, na localidade de Cabanas, em S. Gonçalo, Quinta do Anjo, concelho de Palmela recebeu 18 mil visitantes. Os números superaram em larga medida as expectativas da organização da ARCOLSA – Associação Regional de Criadores de Ovinos Leiteiros da Serra da Arrábida, em articulação com a Câmara Municipal de Palmela, que contava acolher 16 mil pessoas, entre nacionais e estrangeiros.

Ao DIÁRIO DA REGIÃO, Luís Calha, vereador da Cultura e Turismo da Câmara de Palmela afirmou mesmo que “o festival deliciou os visitantes, tendo sido a edição mais participada dos últimos anos e uma das melhores de sempre”. Para Luís Calha, os ingredientes para o sucesso estiveram na “qualidade e diversidade do programa”, que contou com o vasto leque de actividades, como demonstrações equestres, momentos musicais, passeios pedestres e de BTT e ateliês para crianças.

As vendas dos produtos regionais, como o queijo de Azeitão, o pão tradicional e os vinhos da Península de Setúbal foram muito significativas, o que se traduziu na “satisfação dos produtores e expositores em geral, que manifestaram vontade de regressar para o ano”, notou o vereador.

Relativamente ao concurso do queijo de Azeitão DOP (Denominação de Origem Protegida), a grande novidade da edição deste ano, Luís Calha faz um “balanço positivo desta primeira experiência”, salvaguardando que “há certos factores de inovação a ser aprimorados”. No total, quatro produtores levaram a concurso um queijo de Azeitão, sujeito à avaliação de provadores externos. A Queijaria Vítor Fernandes, instalada na Quinta do Anjo foi a vencedora. No entanto, Luís Calha rejeitou a importância atribuída ao título, uma vez que “todos os produtores da região são excelentes, tornando-se difícil eleger o melhor”. Acrescentou ainda que “os grandes avaliadores da qualidade do queijo de Azeitão foram os visitantes, que se traduziu no grande volume de vendas registado”.

O vereador da autarquia de Palmela referiu que o festival impulsionou a actividade turística na região. “O turismo de natureza, o enoturismo e o turismo cultural são alguns dos principais produtos da região da Arrábida, que é cada vez mais procurada. E esse crescimento tem-se verificado devido a festivais e iniciativas como esta”, destacou.

Deixe uma resposta