Vitória, 2 – Moreirense, 0: Entrada fulgurante faz Vitória voltar a sorrir

Desporto

Após sete jogos sem vencer, o Vitória reencontrou ontem os êxitos ao vencer, por 2-0, o Moreirense, em partida da 27.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, realizada no Estádio do Bonfim. João Amaral e Edinho, aos quatro e 15 minutos de jogo, respectivamente, foram os autores dos golos do triunfo dos setubalenses.

Sem argumentos para contrariar o melhor futebol praticado pelos vitorianos, a equipa de Moreira de Cónegos, que estreou o treinador Petit no cargo, prolongou para nove o número de jornadas que leva sem vencer, mantendo-se no 16.º lugar da tabela, apenas uma posição acima dos lugares de descida.

Os sadinos entraram da melhor forma no encontro, colocando-se em vantagem no marcador logo aos quatro minutos graças a um golo de João Amaral. O avançado desferiu um pontapé forte e colocado de fora da área que, ao entrar junto do ângulo superior esquerdo, não deu hipóteses de defesa a Makaridze.

Em desvantagem no marcador, os forasteiros responderam, aos 11 minutos, num remate cruzado de Boateng que passou perto do poste direito da baliza de Pedro Trigueira, que rendeu o habitual titular Bruno Varela, que foi suplente depois de ter estado ao serviço da seleção A na semana passada.

O Vitória não se assustou com a incursão dos cónegos e manteve a toada dinâmica e a eficácia total na finalização. Assistido por João Amaral, o avançado Edinho, que não marcava há seis jornadas [na derrota 2-1 em Arouca], imitou o colega num remate colocado que entrou junto do ângulo superior esquerdo da baliza do Moreirense, aos 15 minutos.

A perder por 2-0, o Moreirense equilibrou em termos territoriais mas nunca conseguiu, até ao intervalo, criar lances que colocassem em sobressalto a baliza defendida por Trigueira. Na segunda parte, Petit lançou em campo Sougou, Cauê e Alex, jogadores que contribuíram para os cónegos se acercarem com maior frequência da área sadina, mas sem efeitos práticos, uma vez que não conseguiram reduzir a desvantagem e reentrar na discussão do resultado.

O lance mais relevante do segundo tempo foi protagonizado por João Carvalho, médio cedido pelo Benfica, que, aos 61 minutos, pegou na bola depois do meio campo e fugiu pelo flanco esquerdo deixando para trás vários adversários, entre eles o guardião Makaridze que por um triz não sofreu o terceiro golo. Até ao apito final, os sadinos, que somam agora 34 pontos [17 de distância para os lugares de despromoção ocupados por Nacional e Tondela] controlaram as operações e não tiveram dificuldades em segurar o triunfo construído nos primeiros 15 minutos.

 

José Couceiro

«Fizemos dois golos fantásticos»

“Ao contrário do que já aconteceu em ocasiões anteriores, o jogo correu-nos bem. Fizemos dois golos fantásticos. Depois disso, houve um momento em que permitimos que o Moreirense subisse um pouco. Rectificámos ao intervalo.

A intenção era fazer o terceiro golo. Não conseguimos e acabámos por controlar o jogo. Dobrámos os pontos em relação à ‘linha de água’. Apesar de matematicamente não assegurada a permanência, é quase impossível a equipa não se manter na I Liga.

Com este resultado, não nos afastámos das equipas que estavam na frente e podemos melhorar ainda a nossa classificação.

[Troca de Bruno Varela por Trigueira] Somos uma equipa e tenho de a gerir. Trigueira tem feito uma boa época. Era o momento de mostrar que contamos com ele e o Vitória tem soluções. O Bruno Varela está em alta e vai jogar mais.

Treinador lamenta incidente na bancada com membro da claque

[Incidentes na bancada que levaram um adepto da claque Ultras Grupo 1910 ao hospital] Não vi nada, mas lamento que aconteceu. O Vitória não vive o melhor momento da sua história. O clube tem de progredir, também ao nível da sua estrutura física. É importante ter apoio dos vitorianos nos jogos todos. É fundamental para o crescimento da equipa. Se nos dividirmos…

O mais importante é perceber como é que o Vitória se pode desenvolver. Mesmo discordando, é necessário estarmos unidos nos jogos. Apoiem sobretudo nos maus momentos.”

Deixe uma resposta