GNR impede homem de matar a mulher à facada

Local Últimas B

Uma patrulha da GNR do posto do Cercal do Alentejo, do Comando Territorial de Setúbal, deteve um homem de 42 anos que tentava matar a esposa com uma faca, na sequência de uma discussão entre o casal. A ocorrência teve lugar no último domingo, 26, “em Abela”, sendo que o homem foi presente a tribunal nesta terça-feira, anunciou a GNR em comunicado.

“O Comando Territorial de Setúbal, através do Posto Territorial do Cercal do Alentejo, deteve no dia 26 março, em Abela, um homem de 42 anos, por tentativa de homicídio em situação de violência doméstica. A patrulha foi alertada para uma situação de violência doméstica em que o homem tinha tentado matar a sua esposa com uma faca após uma discussão entre ambos. A mulher, com o seu filho menor, refugiou-se na casa de um vizinho até à chegada dos militares, que detiveram o suspeito, evitando assim um desfecho trágico desta situação”, revelou a GNR.

Ainda de acordo com a informação da GNR, o tribunal decretou que o detido ficasse proibido “de aceder ou frequentar a casa da vítima, de contactar com a mesma e de se sujeitar a tratamento para adição ao álcool”.

5 comments

  1. A falta de respeito pelo ser humano está instalada na sociedade e quanto alarde disso se fizer maior é o desastre.É urgente olhar de frente para este fenómeno, porque os assassinos não vêm dum outro planeta, mas estão no nosso meio e são criados entre nós.

    1. Quando alarde maior é o desastre?? não entendo essa lógica, violência deste tipo acontece há muitos anos e antes não existia tanta informação! assim como existia maior conivência! que haja alarde que hajam denúncias por parte de quem se apercebe!! que se punam os agressores!! Isso sim

  2. Fim do mundo! Na Abela não se passava nada! o mal está cada vez mais alastrado..no meio de todos nós!…

    1. Deste vez o título pode ser: GNR NÃO CONSEGUIU IMPEDIR O SUICÍDIO
      Após 1 mês, este homem, sem mulher, sem filho, sem apoio psicológico, pôs fim à sua vida. Hoje de madrugada, ligou aos amigos, e suicidou-se, apesar das tentativas de contrariar a sua vontade.
      «Ainda tentei falar contigo, mas talvez já estivesses a sofrer a partida.»
      É tempo de refletir sobre estes casos. Eles eram três pessoas. Retiraram duas e esqueceram-se de uma que lhes tinha amor, embora o álcool o atraiçoasse como faz com todos e todas.
      Descansa em paz, RUI! Eras um BOM AMIGO e vamos sentir muito a tua falta.

Deixe uma resposta