Vitória volta a apagar chama do dragão

Desporto Desporto B Últimas

Tal como fez na primeira volta do campeonato (0-0), o Vitória voltou ontem a travar o FC Porto ao empatar 1-1, desta vez no Estádio do Dragão. O golo que valeu o empate ao conjunto setubalense foi apontado por João Carvalho, médio cedido pelo Benfica em Janeiro, aos 56 minutos. O golo dos portistas foi marcado por Corona no último lance do primeiro tempo.

Com 31 pontos, os vitorianos superaram à 27.ª jornada o número de pontos obtidos no final da temporada transacta. Apesar da igualdade obtida no estádio onde não pontuavam desde 2005/06, os sadinos caíram para a 12.º lugar, uma vez que o Feirense (triunfo sobre o Chaves), soma agora 32 pontos.

No onze inicial, o treinador José Couceiro fez várias alterações em relação ao onze que apresentou na ronda anterior diante do Feirense. Os brasileiros Nenê Bonilha e Thiago Santana tiveram entrada directa no onze por troca com Nuno Santos e Meyong, que ficaram no banco de suplentes.

Num jogo intenso em que um Dragão teve casa cheia, o Vitória jogou na expectativa conseguindo enervar um adversário que, em caso de triunfo, saltava para a liderança da I Liga por troca com o Benfica, que empatara (0-0)  no dia anterior, em Paços de Ferreira.

Antes de os dragões inaugurarem o marcador (45+1), a equipa de Nuno Espírito Santo tinha desperdiçado ocasiões suficientes para construir uma vantagem. Brahimi – Vasco Fernandes impediu o golo em cima da linha de golo –, Marcano (acertou no ferro), Soares (defesa de Bruno Varela) e André Silva, de cabeça, atirou ao lado do alvo.

Quanto ao Vitória, foram raras as vezes (duas) em que incomodou Casillas no primeiro tempo. O golo de Corona parecia desbloquear de vez o jogo para a equipa de Nuno. Um golaço, num remate de primeira, sem deixar cair, após centro de Oliver Torres.

A ganhar por 1-0, o início do segundo tempo mostrava um FC Porto mais tranquilo, com duas iniciativas na área, uma de Brahimi, outra de Corona, a deixarem antever que poderia chegar o 2-0. Pura ilusão. Em sentido inverso, veio o empate. Felipe escorregou na altura errada e o centro de Nuno Pinto apanhou João Carvalho que ficou na cara de Casillas e picou-lhe a bola, fazendo o seu primeiro golo na Liga.

Até ao final, o Vitória sofreu para suster a pressão portista. Graças ao espírito de entreajuda e aos níveis de concentração elevados, o Vitória voltou a fazer história. Afinal, os dois primeiros classificados – Benfica (1-1 na Luz e triunfo sadino 1-0 no Bonfim) e FC Porto (0-0 em Setúbal e 1-1 no Dragão) não conseguiram vencer em 2016/17 o Vitória.

Deixe uma resposta