Setúbal vai estrear-se no Salão Mundial de Turismo em Paris

Local Regional Últimas B Últimas C

Aposta vai ao encontro de “um mercado apetecível”. “Depois do espanhol, o mais importante é o turista francês e também temos muitos cidadãos franceses a adquirir residência em Setúbal”, explicou a responsável da promoção do gabinete de Turismo do município

O município de Setúbal vai marcar presença, pela primeira vez, no Salão Mundial do Turismo, que abre esta quinta-feira, 16, e decorre até domingo, no parque de exposições da Porta de Versalhes, em Paris, França.

Fernanda Correia, responsável da promoção do gabinete de Turismo de Setúbal, disse à Lusa que “há bastantes expectativas” nesta primeira participação no Salão de Paris, depois de três anos a participar em feiras internacionais em Espanha e na Alemanha. “É bastante importante porque nós temos, em termos de turistas recebidos em Setúbal, muitos turistas franceses. Depois do espanhol, o mais importante é o turista francês e também temos muitos cidadãos franceses a adquirir residência em Setúbal. Por isso, é um mercado apetecível”, resumiu a responsável.

Para convencer o mercado francês, o gabinete de Turismo do município vai apresentar a gastronomia e o enoturismo, o Sol e o mar, e um turismo de natureza com uma comunidade de golfinhos residentes e uma oferta ao nível de observação de aves.

Albufeira é o outro município luso que, a exemplo de Setúbal, vai participar neste evento pela primeira vez.

Certame espera cem mil visitantes

Nesta 42.ª edição do certame – onde também vai estar representada pelo menos uma empresa de cruzeiros no Rio Douro – o salão vai apresentar mais de 500 destinos turísticos, contando com cerca de 400 expositores, sendo esperados cerca de cem mil visitantes.

Além de apostar em ideias de ‘city beak’ (estadias de curta duração), de enoturismo ou de cruzeiros, o salão vai propor um turismo de memória e de História em torno da Primeira Guerra Mundial, no ano em que se comemora, também, o centenário da entrada de Portugal na Grande Guerra e em que foi apresentada uma candidatura a Património Mundial da Humanidade de locais funerários e memoriais da I Guerra, na qual se inclui o cemitério militar português de Richebourg, no norte de França.

DIÁRIO DA REGIÃO com Lusa

Deixe uma resposta