SETÚBAL: Ruas Moinho do Frade e Campos Rodrigues requalificadas

Local Últimas C

Conclusão das obras representa, de acordo com a presidente da Câmara Municipal, Maria das Dores Meira, “o fim de décadas de abandono” a que aquelas ruas estiveram votadas

Cerca de 160 mil euros foi o valor total do investimento realizado pela Câmara Municipal de Setúbal na requalificação das ruas Moinho do Frade e Campo Rodrigues.

“A finalização desta obra representa o fim de décadas de abandono a que estas ruas estiveram votadas”, disse a presidente da autarquia, Maria das Dores Meira, que visitou, na última sexta-feira, 10, os trabalhos realizados que custaram aos cofres municipais 158.879,31 euros.

Para a autarca, a materialização desta operação, que incluiu a requalificação das redes de saneamento e de abastecimento de água e diversas acções na superfície, “é o resultado da participação da população” residente na referida zona, que fez chegar à Câmara, “com grande insistência, o pedido de resolução” da situação.

Além dos trabalhos de renovação de infra-estruturas instaladas no subsolo, a empreitada promoveu uma profunda beneficiação urbanística, com a criação de novas zonas de circulação pedonal, com passeios rebaixados e pavimento pitonado nas áreas de passadeiras, que respondem às necessidades de mobilidade para todos.

No espaço público, agora com renovadas dinâmicas de usufruto urbano, foram plantadas árvores, enquanto o sistema de circulação automóvel foi optimizado com a colocação de sinalização vertical e horizontal e a definição de bolsas de estacionamento, agora devidamente ordenado.

Maria das Dores Meira sublinhou que as obras naqueles arruamentos das freguesia de São Sebastião, concretizadas em cerca de cinco meses, “simbolizam muito bem o esforço feito em todo o concelho para resolver situações idênticas e demonstram a vontade municipal de continuar a trabalhar para as resolver”.

A operação urbanística liderada autarquia e concluída recentemente resultou de uma situação identificada no âmbito do programa municipal “Ouvir a População, Construir o Futuro”, que leva o executivo directamente ao terreno para auscultar as necessidades dos munícipes.

Deixe uma resposta