Bióloga Raquel Gaspar vence prémio com projecto ‘Guardiãs do Mar’ [VÍDEO]

RAQUEL GASPAR. Coordenadora de "Guardiãs do Mar" trabalha com pescadoras para as tornar guias-marinhas
Local B Sociedade B

Co-fundadora da Ocean Alive concorre agora ao Prémio Internacional do Público, cuja votação online decorre até 24 de Março no site da Fundação Yves Rocher

 

Raquel Gaspar, co-fundadora da Ocean Alive, foi a vencedora da 8.ª edição do Prémio Terres de Femmes Portugal 2017 como coordenadora do projecto “Guardiãs do Mar: Salvar o Ambiente, Preservar Empregos”, desenvolvido no Estuário do Sado.

O “Guardiãs do Mar” envolve pescadoras do Estuário do Sado, que estejam desempregadas, num programa de capacitação para torná-las guias-marinhas, agentes de sensibilização ou monitoras. A meta nos próximos três anos é conseguir capacitar 12 pescadoras e para isso contribuirá o prémio financeiro de 10 mil euros que Raquel Gaspar ganhou.

A Ocean Alive trabalha com as pescadoras como “peça catalisadora da transformação de comportamentos”, com objectivo de sensibilizar a comunidade – nomeadamente os pescadores que se dedicam à apanha do lingueirão e do casulo e têm por hábito largar as embalagens de sal na maré – para o problema da poluição plástica do Estuário do Sado.

Outra das facetas do projecto é uma campanha de sensibilização, que desde 2015 já sensibilizou mais de 600 estudantes e turistas, e a monitorização das pradarias com os cientistas.

A Ocean Alive procura assim responder ao “problema da degradação e destruição das pradarias marinhas do Estuário do Sado”, causado pelo lixo da mariscagem, pelas âncoras que destroem as pradarias e pela pesca destrutiva.

Raquel Gaspar recebeu o Prémio Terres de Femmes Portugal 2017 num evento em Leça da Palmeira e ao DIÁRIO DA REGIÃO confessou que sempre “quis ser uma das vencedoras” por acreditar que a iniciativa “tem tudo a ver com os critérios do prémio”. “É uma grande responsabilidade e um grande desafio levar o projecto avante”, disse.

A bióloga marinha representa agora Portugal na corrida ao Prémio Internacional do Público, entre outras nove candidatas, cuja votação, online, realiza-se até ao dia 24 de Março no site da Fundação Yves Rocher. O prémio do público e o Prémio Internacional do Júri serão entregues numa cerimónia a ter lugar em Paris no final de Março.

O Prémio Terre de Femme, criado em 2001, procura “distinguir, dar visibilidade e apoiar financeiramente projectos de mulheres com um forte compromisso com o ambiente, e que trabalham para uma pegada ecológica mais positiva”. Na primeira fase concorreram 26 mulheres empreendedoras, de 10 países.

Conheça melhor o projecto da Ocean Alive através do vídeo abaixo.

Embaixadora do Reino Unido ajuda a limpar sapal

A embaixadora do Reino Unido em Portugal, Kirsty Hayes, e mais 10 mulheres da respectiva comitiva ajudaram os voluntários da Ocean Alive a limpar um quilómetro de sapal no Estuário do Sado, no Dia Internacional da Mulher, 8 de Março.

Quase 800 embalagens de sal e dezenas de sacos com lixo foram o balanço da limpeza conseguida em mais uma acção da campanha “Mariscar SEM Lixo”.

O dia com a embaixadora incluiu uma visita às pescadoras em plena pesca e ainda uma prova de petiscos de choco e doçarias confeccionados pelas pescadoras, com direito a vinho oferecido pela Quinta do Alcube. Na acção participaram a Câmara Municipal de Alcácer do Sal e a Junta de Freguesia da Comporta.

Fotos: Fundação Yves Rocher/Ocean Alive/D.R.

Deixe uma resposta