Empresas recrutam novos talentos na feira de emprego do Politécnico de Setúbal

AFLUÊNCIA. Cerca de três mil estudantes visitaram a tenda do certame
Local B Sociedade B

Mais de 80 empresas nacionais e internacionais, muitas delas com sucursais na região, estiveram até ontem numa feira de emprego a entrevistar finalistas e diplomados e receber currículos

 

Cerca de três mil estudantes passaram na tenda gigante da Feira de Emprego dinamizada pelo Instituto Politécnico de Setúbal ao longo de dois dias. Entre mais de 80 empresas presentes, nacionais e internacionais e de várias áreas de negócio, esteve a Lauak portuguesa, da indústria aeronáutica, à procura de “profissionais dinâmicos e motivados”.

“A procura está focada nas áreas de produção e logística e existe muito a possibilidade de acolhermos muitos estudantes do IPS, em várias áreas”, contou Paulo Cardoso, director técnico da Lauak portuguesa, ao DIÁRIO DA REGIÃO, ontem de manhã.

A empresa do ramo da indústria aeronáutica, sediada no parque empresarial Bluebiz, da aicep Global Parques, participou na feira pelo terceiro ano consecutivo na expectativa de recrutar quadros formados no politécnico. Uma preferência que se reflecte já internamente numa “grande percentagem de trabalhadores indirectos que estudaram no IPS, nas áreas técnicas e na logística”, explicou o responsável.

A Feira de Emprego dinamizada no âmbito da Semana da Empregabilidade apostou, nesta edição, numa agilização dos processos de recrutamento, sendo que “a maioria das empresas aceitou receber [um total de 1.400] currículos antecipadamente para, na feira, avançar com entrevistas ou sessões de recrutamento”, explicou o presidente do instituto politécnico.

Segundo Pedro Dominguinhos, “várias pessoas já passaram a uma segunda fase de recrutamento no primeiro dia de feira [quarta-feira]”, o que revela o sucesso da iniciativa que traduz uma aposta clara e continuada do IPS em promover a empregabilidade dos seus diplomados, estudantes finalistas e até ex-alunos.

Miguel Silvestre, colaborador da KCS IT, é um dos casos bem-sucedidos. “A KCS esteve presente na primeira feira de emprego do IPS e eu vim cá deixar o meu currículo. Passado um ano, ligaram-me para uma entrevista, eu expliquei o meu interesse, a minha área e aquilo que era bom a fazer e a KCS apostou em mim”, contou. “Estou na empresa há um ano e meio e estou a gostar e a crescer bastante”.

Na opinião de Miguel, 24 anos e licenciado em Recursos Humanos na Escola Superior de Ciências Empresariais, feiras como esta “são muito importantes para os alunos e trabalhadores-estudantes e para pessoas com experiência profissional”. Ali, a empresa de consultoria, outsourcing e informática, sediada em Lisboa, aproveitou também para apresentar “vários projectos de vertente tecnológica para recém-licenciados”.

À procura de um primeiro emprego esteve também Luís Silva, 22 anos. “Vim ver que opções as empresas oferecem na área da engenharia informática, não só quanto ao tipo de tecnologia que usam, mas também em relação às condições de trabalho. Recolhi contactos e em casa vou ver o que quero”, disse o jovem finalista do curso de Engenharia Informática.

A atitude proactiva dos estudantes foi, de resto, elogiada por Duarte Costa, presidente da Associação Académica do IPS, entidade co-organizadora do certame. “Os alunos começam a perceber a importância de não serem diplomados, mas conseguirem fazer a ponte para o mercado de trabalho”.

A Feira de Emprego, desenvolvida no âmbito da Semana da Empregabilidade do Instituto Politécnico de Setúbal, tem sido assim “um sucesso”, nas palavras do presidente. O politécnico de Setúbal é a segunda instituição de ensino superior politécnico do país com maior taxa de empregabilidade.

Deixe uma resposta