Câmara da Moita preocupada com impactos das trajectórias dos voos no concelho

37
visualizações

A Câmara Municipal da Moita anunciou que está contra o novo aeroporto na base aérea do Montijo, mostrando preocupações em relação aos impactos provocados pelas trajectórias dos voos no concelho.

“A instalação desta infraestrutura no centro de uma área densamente povoada e onde existem diversas zonas classificadas de protecção da natureza tem necessariamente fortes impactos ambientais que têm de ser avaliados e acautelados, previamente à tomada de decisão”, refere uma tomada de posição do executivo liderado por Rui Garcia (PCP).

- Pub -

O documento refere que território do Concelho da Moita encontra-se sob as trajectórias de voo de aproximação às pistas deste aeroporto complementar.

“Existem motivos legítimos para a apreensão da população do Concelho face às consequências deste facto na sua qualidade de vida e segurança, que são agravadas pela total omissão destas preocupações nas declarações proferidas pelos membros do governo”, acrescenta.

A autarquia defende a construção de um novo aeroporto no Campo de Tiro de Alcochete, salientando que a base aérea do Montijo é a “mera instalação de um terminal de passageiros “low-cost”, que não trará “impacto relevante na economia da região”.

“A Câmara Municipal da Moita considera que a solução de instalação de um aeroporto complementar na Base Aérea do Montijo não é a melhor para o município, para a região ou para o país. A opção, já devidamente avaliada e fundamentada, de construção do Novo Aeroporto de Lisboa no Campo de Tiro é a que responde às necessidades actuais e futuras de Portugal relativamente ao tráfego aéreo, de passageiros e de mercadorias”, salienta.

A Câmara Municipal da Moita exige ainda esclarecimentos do Governo sobre os impactos ambientais no seu território e sobre o bem-estar da população do concelho com a instalação do aeroporto complementar na Base Aérea do Montijo.

Comentários

- Pub -