Trabalhadores da Soflusa avançam para um dia de greve

Local Sociedade

Os trabalhadores da Soflusa, responsável pelas ligações fluviais entre o Barreiro e Lisboa, decidiram avançar para um dia de greve devido à falta de embarcações e inexistência de respostas sobre a revisão do acordo de empresa.

Os trabalhadores da empresa realizaram um plenário no terminal do Barreiro, que originou a paralisação das ligações.

“Os trabalhadores reuniram em plenário e decidiram avançar com uma informação ao público sobre a situação da empresa e marcar um dia de greve, duas horas por turno, que vai afectar as horas de ponta”, disse Carlos Costa, do Sindicato dos Transportes Fluviais Costeiros e Marina Mercante, afeto à Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (FECTRANS).

Segundo o sindicalista, os trabalhadores não estão satisfeitos com a atual situação na Soflusa e decidiram avançar para um dia de greve, cuja data ainda não está decidida.

“A revisão do Acordo de Empresa está pré-acordada mas ainda anão temos respostas nem qualquer informação sobre o processo e depois não existem navios para fazer as ligações fluviais, a situação está um caos”, acrescentou.

Carlos Costa referiu que a situação tem causado supressões e perturbações na ligação entre o Barreiro e Lisboa.

“Não temos navios para fazer as carreiras, a culpa não é dos trabalhadores. Acontecem supressões de carreiras e vários atrasos em relação ao previsto. Algumas vezes a Transtejo, outra empresa do grupo, vem reforçar porque a Soflusa não tem navios”, defendeu.

Deixe uma resposta