Amaro Antunes da W52-FC Porto vence Clássica da Arrábida

Desporto Local Últimas C

Primeira prova internacional dos últimos 20 anos na região percorreu 180 quilómetros pelos três concelhos da Serra da Arrábida, Setúbal, Palmela e Sesimbra

A primeira edição da Clássica da Arrábida realizou-se no domingo, 5, e o grande vencedor foi o ciclista Amaro Antunes, da W52-FC Porto. A prova, que faz parte do calendário da União Ciclista Internacional, iniciou-se às 09:00 em Setúbal e percorreu, ainda, os concelhos de Sesimbra e Palmela, que recebeu a grande final que foi ganha depois do atleta azul e branco, que este ano já tinha vencido uma etapa da Volta ao Algarve, ter arrancado a vitória. O troféu sub-23 Liberty Seguros foi entregue a Francisco Campos (Miranda/Mortágua).

Durante boa parte da prova o duo Logan Owen (Axeon Hagens Berman) e Trond Trondsen (Team Sparebanken Sor) estiveram a batalhar pela classificação dos trepadores.

No concelho de Sesimbra, os atletas das 20 equipas que participavam nesta prova, passaram pela Quinta do Conde (última meta volante), Alfarim, desceram até à Vila e subiram pela serra, na zona de Argeis. Nesta zona tiveram um prémio de montanha e um dos percursos mais críticos do percurso, apesar do excelente ponto de vista para o mar. Nesta contagem, por equipas, o W52-FC Porto e o Sporting Tavira passaram nos primeiros lugares.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Depois de terem corrido 180 kms, percorrendo os três concelhos que ladeiam a Serra da Arrábida, Amaro Antunes concluiu a prova em 4h36m34s. O medalhado nos Jogos Olímpicos de Atenas, Sérgio Paulinho (Efapel), ficou em segundo lugar a apenas 2 segundos. O terceiro lugar ficou entregue a Andreas Vangstad (Team Sparebanken Sor). Os top 10 ficou concluído com: Vicente García de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé), a 17s; Edward Dunbar (Axeon Hagens Berman), a 19s; Manuel Sola (Caja Rural-Seguros RGA), a 26s; Joni Brandão (Sporting-Tavira), a 31s; Frederico Figueiredo (Sporting-Tavira), a 36s; Igor Merino (Burgos BH), a 38s e Mario González (Sporting-Tavira), a 41s.

A competição resulta de uma parceria entre a Federação Portuguesa de Ciclismo e os três municípios que, em três anos, cada um daqueles concelhos receberá uma partida e uma chegada da Clássica.

A Clássica da Arrábida foi a primeira prova de ciclismo internacional a decorrer na região nos últimos 20 anos e contou com uma adesão considerável do público nos diferentes pontos do percurso.

Deixe uma resposta