Golo de Fransérgio dita derrota sadina na Madeira

Desporto Desporto B

O Vitória falhou hoje, 5 de Março, o objectivo de reencontrar os êxitos ao perder, por 1-0, no reduto do Marítimo, em partida da 24.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol. Um golo do médio brasileiro Fransérgio, aos 21 minutos, foi suficiente para os madeirenses, que conseguiram a melhor série imbatível de sempre no campeonato [10 jogos sem perder], levarem a melhor sobre os sadinos que estão há cinco jornadas sem vencer.

Em relação à partida da semana anterior – empate (1-1) com o Sp. Braga – o treinador José Couceiro promoveu os regressos do defesa Fábio Cardoso e do avançado Meyong ao onze por troca, respectivamente, com Pedro Pinto e Edinho. Já os insulares apresentaram uma surpresa de início, com o reforço de inverno Keita a estrear-se, ocupando o lugar de Dyego Sousa.

O avançado guineense quis mostrar serviço cedo e procurou inaugurar o marcador logo aos 10 minutos, num cabeceamento que o guarda-redes Bruno Varela defendeu com segurança. Num jogo bem disputado, os setubalenses mostraram qualidade na construção de jogo e responderam através de João Amaral que obrigou Charles a uma defesa atenta a num remate rasteiro, aos 14 minutos.

O momento que definiu o encontro acabaria por acontecer aos 21 minutos, altura em que os anfitriões fizeram o único golo do jogo. O médio Fransérgio aproveitou um mau passe do capitão Frederico Venâncio, rematando rasteiro e colocado à entrada da grande área, sem hipótese de defesa para o guardião Bruno Varela.

A reacção do Vitória à desvantagem não tardou procurando chegar ao golo numa altura em que a partida era jogada a bom nível. Aos 33 minutos, Nuno Santos quase aproveitou uma brecha na defesa madeirense para repor a igualdade num remate desferido às malhas laterais da baliza defendida por Charles, que segurou a vantagem no marcador até ao intervalo.

No segundo tempo, os comandados de José Couceiro dispuseram de duas boas oportunidades para marcar, mas, à semelhança do que tem acontecido nas últimas partidas, a eficácia não foi a desejada. No espaço de um minuto (61 e 62), Charles brilhou na baliza dos insulares, primeiro ao desviar um cruzamento/remate de Mikel para a trave e, depois, a impor-se a um remate forte de João Amaral.

Já com Arnold, Edinho e Zé Manuel em campo [substituíram Fábio Cardoso, Meyong e João Carvalho, respectivamente], o Vitória causou vários calafrios na retaguarda maritimista, mas o guardião brasileiro Charles continuou em destaque ao travar as intenções adversárias, segurando o 1-0 construído na primeira parte até ao apito final do árbitro transmontano Gonçalo Martins.

Com este resultado, o Vitória mantém-se a meio da tabela com 30 pontos, enquanto o Marítimo consolida a sexta posição da tabela com 37 pontos.

Deixe uma resposta