SESIMBRA: Um dos três detidos que furtavam residências de idosos ficou em prisão preventiva

APREENSÃO. Durante a operação, a GNR apreendeu diverso material
Últimas C

Dois homens e uma mulher foram detidos, no passado dia 14, na sequência de uma investigação que já durava há um ano. Faziam-se passar por funcionários de telecomunicações para entrarem nas habitações das vítimas

Um dos elementos do três suspeitos que a GNR de Setúbal deteve em Sesimbra, por se fazerem passar por funcionários de uma empresa de telecomunicações para consumarem diversos crimes de burla e furtos a idosos, ficou em prisão preventiva. Aos outros dois foi aplicada a medida de coacção de apresentações semanais no posto policial da área de residência, revelou a GNR.

Segundo um comunicado do Comando Territorial de Setúbal, a mulher fazia-se passar por vendedora de uma empresa de telecomunicações que oferecia grandes vantagens na contratação de serviços. As detenções foram efectuadas em Sesimbra pelos núcleos de investigação criminal de Setúbal e de Palmela.

De acordo com a GNR, depois de conseguir que alguns dos supostos clientes assinassem um contrato, a mulher solicitava a presença de outro falso funcionário da referida empresa de telecomunicações para fazer a passagem dos cabos de rede. “Uma vez no interior da residência, enquanto a mulher conversava com as vítimas numa divisão, um dos suspeitos percorria a restante residência e furtava todos os objectos de valor que encontrava, nomeadamente dinheiro e ouro”, refere o comunicado, acrescentando que só depois de os falsos funcionários saírem das residências é que as vítimas detectavam que tinham sido alvo de furto.

A GNR refere ainda que a detenção dos três suspeitos – uma mulher brasileira e dois homens portugueses – foi o culminar de uma investigação que decorria há cerca de um ano, período em que os arguidos furtaram diversos objectos de valor no interior de residências, essencialmente de pessoas idosas e a viverem sozinhas.

Além das três detenções efectuadas, a GNR apreendeu cerca de 150 gramas de objectos em ouro, uma arma de caça e diversas munições, 500 euros em numerário, uma viatura e diversos telemóveis. Os detidos foram presentes a tribunal na quarta-feira, tendo um deles ficado em prisão preventiva e os outros dois com a obrigatoriedade de se apresentarem semanalmente no posto policial da área de residência.

DIÁRIO DA REGIÃO com Lusa

Deixe uma resposta