Nuvem de enxofre em Setúbal provoca lesões em 20 pessoas

Regional Últimas Últimas C

Um total de 20 pessoas, entre os quais 10 bombeiros, sofreram lesões devido ao excesso de dióxido de enxofre libertado no incêndio de um armazém deste produto tóxico na Mitrena, Setúbal, anunciou a Direcção-geral da Saúde (DGS).

As informações foram prestadas hoje, 16, em conferência de imprensa na DGS, na qual foi adiantado que todas as vítimas, entre as quais quatro crianças, já tiveram alta clínica, à excepção de uma que deu entrada esta manhã no hospital.

As autoridades referiram que, neste momento, não há emissão de dióxido de enxofre e que não se justificam as medidas de protecção à população, anunciadas na quarta-feira.

De acordo com a informação prestada aos jornalistas pelo presidente do INEM, Luís Meira, as concentrações de dióxido de enxofre actualmente registadas “estão abaixo dos limites legais estabelecidos” e “não há risco para a saúde humana”.

Por causa dos elevados níveis de dióxido de enxofre no ar, a DGS tinha feito um aviso à população, aconselhando medidas de protecção aos habitantes da península de Setúbal.

Na conferência de imprensa de quarta-feira, o director-geral da Agência Portuguesa do Ambiente, Nuno Lacasta, revelou que numa das estações de avaliação da qualidade do ar na região de Setúbal terão sido detectados 900 microgramas de dióxido de enxofre por metro cúbico, um valor muito superior aos 500 que obrigam a informar a população.

O excesso de poluição levou ainda a Câmara Municipal de Setúbal a decidir fechar hoje todas as escolas do concelho.

Entretanto, o incêndio que deflagrou na madrugada de terça-feira nos armazéns de enxofre da Sapec Agro, na Mitrena, foi declarado extinto às 9:10 de hoje.

Deixe uma resposta