Entrevista com um senhor empreiteiro

Opinião

DIÁRIO DA REGIÃO – Para nos falar sobre a polémica decisão de Donald Trump de mandar construir um muro na fronteira entre o México e os EUA, temos hoje connosco a pessoa responsável pela obra. Bom dia, Sr. empreiteiro. Não sente algum desconforto em construir um muro que tem tanto de grande como de parvo?

  1. EMPREITEIRO – Não. Sinto até algum orgulho.

DIÁRIO DA REGIÃO – Como assim, orgulho?

  1. EMPREITEIRO – Olhe, em Portugal há muito a mania do “bota abaixo”. Vejo muita gente a criticar mas ninguém a dizer que, depois do cão de água português de Barack Obama, Portugal volta a ter uns dignos representantes na Casa Branca.

DIÁRIO DA REGIÃO – Sente-se uma espécie de novo embaixador português por ter sido escolhido pelo novo presidente dos EUA para construir o muro?

  1. EMPREITEIRO – Em primeiro lugar, sinto que as pessoas deram mais valor ao bicho do que me estão a dar a mim. Fizeram-se reportagens e crónicas. Falou-se com veterinários, entrevistaram-se especialistas em carraças. Mas comigo nenhum jornalista falou.

DIÁRIO DA REGIÃO – Está a ser injusto. Nós estamos a entrevistá-lo.

  1. EMPREITEIRO – Tem razão. Mas ainda não perguntou sobre o resto da comitiva que vai comigo trabalhar. Isto não é jornalismo, trata-se de uma fantochada.

DIÁRIO DA REGIÃO – Bom, temos de concordar consigo na parte da fantochada. Mas já agora, explique aos nossos leitores quais são as pessoas envolvidas nesta comitiva.

  1. EMPREITEIRO – Estava a ver que não perguntava. Olhe, vai o meu primo Vítor que é pintor em Cedofeita. É um profissional que sim senhor. Fui eu que recomendei. O presidente Trump está com muita expectativa no trabalho dele.

DIÁRIO DA REGIÃO – Portanto, o Sr. empreiteiro constrói o muro e o seu primo pinta-o.

  1. EMPREITEIRO – Não. Ele vai com a missão de tentar mudar a cor do Trump. Está um bocado alaranjado. Diz que é dos golden showers.

DIÁRIO DA REGIÃO – Pois…é possível. Conte-nos um pouco mais sobre o trabalho que vai desenvolver. O presidente Trump fez algum pedido especial?

  1. EMPREITEIRO – Fez até mais do que um pedido, na medida em que é um homem com muito bom gosto e tal. O caderno de encargos é grande. Pouca gente sabe, mas vamos também construir uma marquise na varanda da Trump Tower em Nova Iorque. O meu primo Vítor é muito jeitoso e vai fazer também esse biscate.

 

DIÁRIO DA REGIÃO – E em relação ao muro? É segredo ou já nos pode adiantar como vai ser construído? Fala-se em betão e tijolos. Confirma esses rumores, Sr. empreiteiro?

  1. EMPREITEIRO – Olhe, não confirmo. Aliás, desminto categoricamente. O muro vai ser uma obra muito bonita e inovadora. Vai ter umas grades em ferro e tudo.

DIÁRIO DA REGIÃO – Grades em ferro? Mas, não era suposto ser uma coisa para travar a entrada de pessoas e produtos nos Estados Unidos?

  1. EMPREITEIRO – O que lhe posso adiantar é que foi uma ideia do meu primo Vítor, que por acaso é toxicodependente.

DIÁRIO DA REGIÃO – Hum…certo. Conte-nos como foi receber a notícia de que tinha ganho o concurso para fazer estas obras.

  1. EMPREITEIRO – Foi uma grande alegria, como imagina. A minha mulher chegou uma noite destas a casa e contou-nos que já tinha as obras todas acertadas com a mulher do Trump.

DIÁRIO DA REGIÃO – Mas quem fez o negócio foi a sua mulher com a Melania Trump?

  1. EMPREITEIRO – Sim. A minha mulher tem uma pequena manicura e é ela quem trata das unhas da primeira-dama. No fundo, foi só juntar todas as áreas empresariais da família e promover os serviços. Fala-se muito nas grandes empresas, mas não se valoriza os empreendedores e os pequenos e médios empresários.

DIÁRIO DA REGIÃO – Para finalizar, que palavras gostaria de deixar aos empresários e empreendedores portugueses?

  1. EMPREITEIRO – Chupa, Mota-Engil.

 

Deixe uma resposta