Milhares passaram pelo Montijo no último adeus a Amândio de Carvalho

Local Últimas C

Figuras do desporto, da política, do movimento associativo, entre muitos outros amigos, prestaram última homenagem ao antigo vice-presidente da FPF e ex-presidente da Assembleia Municipal do Montijo

Milhares, oriundos dos meios desportivo, político e associativo, passaram pela Capela do Cemitério de São Sebastião, no Montijo, entre o final desta sexta-feira e tarde de sábado, para apresentarem condolências, no último adeus a Amândio de Carvalho. Chegaram-se a formar filas, à noite de sexta-feira, e a ter até de se encerrar as portas da capela, na tarde de sábado, face à afluência de pessoas que quiseram apresentar os últimos respeitos à família enlutada e prestar homenagem ao montijense, que ficou notavelmente ligado ao panorama desportivo português e ao movimento associativo e até autárquico montijense.

Amândio de Carvalho, antigo vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e ex-presidente da Assembleia Municipal do Montijo – que presidia à Assembleia Geral dos Bombeiros do Montijo e à Assembleia Geral da Sociedade Filarmónica 1.º de Dezembro do Montijo – faleceu na madrugada de sexta-feira, pelas 6h00, aos 79 anos, no Hospital de Santa Maria, onde tinha dado entrada.

O corpo esteve em câmara ardente na Capela do Cemitério de São Sebastião no Montijo a partir das 18h30 de sexta-feira, de onde saiu pouco depois das 16h00 de sábado rumo ao crematório do Cemitério da Quinta do Conde, em Sesimbra.

A FPF emitiu na sua página oficial na Internet uma nota de pesar, na qual destacou o percurso do antigo dirigente que também esteve à frente da Associação de Futebol de Setúbal (AFS).

Percurso notável

Nascido a 10 de Março de 1937, no Montijo, Amândio de Carvalho, faleceu esta sexta-feira aos 79 anos, vítima de doença prolongada. O antigo vice-presidente da FPF, entre 1983 e 1986, e, depois, entre 1998 e Dezembro de 2011, dedicou grande parte da sua vida ao movimento associativo e em particular ao futebol”, lembrou a FPF em comunicado.

“Eleito vice-presidente da AFS, em 1970, foi secretário-geral e responsável pelo futebol juvenil, numa primeira passagem que se prolongou até 1983, altura em que assumiu funções como vice-presidente da direcção da FPF, presidida então pelo Dr. Silva Resende. Foi o responsável pelas selecções que participaram no Europeu de 1984, em França, e no Mundial de 1986, disputado no México. Em 1989, regressou à AFS, na qualidade de secretário-geral. Dois anos depois, Amândio de Carvalho foi eleito como presidente da AFS, mantendo esse cargo até 1998, altura em que retornou à FPF como vice-presidente administrativo, na direcção presidida por Gilberto Madaíl, acumulando, desde 2007, com o cargo de responsável pela Selecção A, acompanhando as selecções no Euro-2008 e no Mundial de 2010. Manteve-se nestas funções até Dezembro de 2011.”

A 6 de Setembro de 2011, sublinhou a FPF, Amândio de Carvalho foi agraciado com o Grau de Comendador da Ordem de D. Henrique, pelo Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva.

“Foi praticante de ténis de mesa, basquetebol e futebol. Chegou a integrar a selecção de juniores de futebol da Associação de Setúbal. Em 1958, tirou o curso de treinador de futebol no antigo INEF. Profissionalmente, e depois de ter tirado o Curso Industrial, foi professor no Montijo. Trabalhou na Firestone Portuguesa desde 1961”, concluiu a FPF na mesma nota.

Presidente da FPF presente na capela

Fernando Gomes, presidente da FPF, foi umas das várias figuras ligadas ao movimento desportivo nacional que se deslocou à Capela do Cemitério de São Sebastião. Antes havia emitido uma nota na página da FPF na Internet a lamentar a perda.

“Em meu nome e em nome da Federação Portuguesa de Futebol gostaria de expressar o meu voto de profundo pesar pela morte de Amândio de Carvalho. A sua competência profissional e capacidade de liderança deixaram marcas positivas na FPF e contribuíram para engrandecer o futebol português. Pessoa de cortesia ímpar, Amândio de Carvalho deixa igualmente ao País um enorme legado de simpatia, seriedade e honradez”, escreveu o dirigente.

 

Reacções

De Norte a Sul do País, sucederam-se reacções ao falecimento de Amândio de Carvalho, com as respectivas mensagens de condolências. Treinadores, jogadores, dirigentes, políticos, entre outros, lamentaram a perda de um vulto incontornável na história do futebol e no movimento associativo.

Secretário de Estado do Desporto:

“Teve um papel fundamental no futebol português”

O secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, manifestou o seu pesar pela morte de Amândio de Carvalho. “É sempre triste ver partir alguém com a importância de Amândio de Carvalho, que teve um trabalho fundamental nas selecções, principalmente no acompanhamento que fez no Europeu de 2008 e no Mundial de 2010”, disse João Paulo Rebelo. O governante acrescentou ainda que Amândio de Carvalho “permanecerá na memória colectiva como alguém com um papel muito importante no futebol português”.

 

Pedro Proença:

“Foi figura de proa na FPF durante mais de duas décadas”

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), Pedro Proença, frisou que Amândio de Carvalho foi “figura de proa” na FPF”. “O desporto português ficou mais pobre com o desaparecimento de Amândio de Carvalho, que dedicou grande parte da vida activa ao futebol”, disse à agência Lusa o dirigente. Proença apontou o antigo vice-presidente da FPF como “figura de proa no organismo e na gestão da Selecção Nacional durante mais de duas décadas”.

 

Luiz Felipe Scolari:

“Era uma pessoa muito correcta, tranquila e equilibrada”

O antigo seleccionador de Portugal e Brasil Luiz Felipe Scolari manifestou apoio à família de Amândio de Carvalho, sublinhando o carácter do montijense. “O senhor Amândio de Carvalho era uma pessoa muito correcta, tranquila e equilibrada. Ele ajudou-nos muito quando estivemos na Selecção de Portugal. Deixamos os nossos pêsames à família”, referiu Luiz Felipe Scolari em comunicado. O treinador brasileiro dos chineses do Guangzhou Evergrande acrescentou que a morte de Amândio de Carvalho trouxe “um sentimento de perda muita grande”.

 

Maria Amélia Antunes:

“Uma Referência e um Exemplo que perdurará”

A presidente da Assembleia Municipal do Montijo, Maria Amélia Antunes, também reagiu, em comunicado, lamentando profundamente o falecimento de Amândio de Carvalho, que presidiu à Assembleia Municipal do Montijo entre 2009-2013. “Amândio de Carvalho teve um percurso associativo e cívico de relevo. Foi dirigente associativo de várias associações, recreativas, desportivas e culturais. Presidiu à Associação de Futebol de Setúbal. Foi vice-Presidente da Federação Portuguesa de Futebol. Nesta hora de tristeza pelo seu desaparecimento, realçamos o papel que desempenhou ao longo da sua vida na defesa e engrandecimento das associações desportivas, culturais e humanitárias que serviu como sócio dedicado e dirigente ao mais alto nível. Uma Referência e um Exemplo que perdurará”, disse a autarca do Montijo, em comunicado.

 

Gilberto Madaíl:

“Um homem bom, injustiçado e a quem o futebol português muito deve”

O antigo presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Gilberto Madaíl, considerou que desapareceu “um homem bom”, “injustiçado” e “a quem o futebol português muito deve”. “Era um homem bom em todos os aspectos. Na sua dedicação ao futebol durante anos, anos e anos, nas mais variadas funções, e na sua lealdade para comigo na qualidade de vice-presidente [da FPF]”, disse à agência Lusa Gilberto Madaíl.

O antigo presidente disse ainda que ficou abalado pelo desaparecimento de Amândio de Carvalho e criticou os actuais dirigentes da FPF pelo seu alegado esquecimento. “Ainda hoje o presidente [Fernando Gomes] veio emitir umas lágrimas que eu não quero classificar”, adiantou Gilberto Madaíl, considerando que o trabalho de Amândio de Carvalho não foi devidamente reconhecido pela actual direcção da FPF. Madaíl recordou ainda o grande trabalho diário que Amândio de Carvalho desenvolvia na FPF. “E não era como hoje. Que há directores muito bem pagos. Ele não era um director pago. Tinha apenas umas ajudas de custo. E ele fez sempre isso com amor e paixão pelo futebol”, finalizou.

 

Câmara Municipal do Montijo:

“Intensa actividade dedicada ao movimento associativo foi um dos seus principais méritos”

A autarquia do Montijo publicou uma nota nas redes sociais a dar conta do falecimento de Amândio de Carvalho, lembrando que o montijense foi distinguido com a Medalha de Ouro do município em 2016. “Dedicou a sua vida ao futebol, tendo ocupado cargos de grande prestígio a nível nacional, nomeadamente na vice-presidência da Federação Portuguesa de Futebol. A sua intensa actividade dedicada ao movimento associativo do concelho foi desde sempre um dos seus principais méritos. Foi presidente da Assembleia Municipal do Montijo de 2009 a 2013, tendo recebido a Medalha de Ouro do concelho em 2016. Pelos serviços prestados ao concelho e ao País e pelo seu percurso de vida, a Câmara Municipal do Montijo presta merecida homenagem a Amândio de Carvalho e deixa sentidos pêsames à família e amigos”, lê-se na nota publicada pela edilidade.

Deixe uma resposta