O novo aeroporto no Montijo e a qualidade do transporte fluvial

Opinião

Quando a Ponte Vasco da Gama foi inaugurada em Março de 1998, o concelho de Montijo estava a diminuir de população, muitas fábricas tinham fechado e outras estavam a fechar, o comércio estava com grandes dificuldades, como aconteceu por todo o país. Por essa altura tínhamos 39.000 habitantes e hoje temos 55.000 habitantes, crescemos mais de 40% em 19 anos.

Somos hoje uma cidade moderna, segura e com uma qualidade de vida excelente. Temos excelentes acessibilidades para Lisboa pela Ponte Vasco da Gama e auto-estradas para todo o país.
Os órgãos de comunicação social nacionais e regionais noticiaram esta semana que o Governo já tinha decidido que o novo aeroporto para aviões low cost ia para Base Aérea de Montijo e o contrato com a ANA para a elaboração dos projectos ia ser assinado no dia 15 de Fevereiro, com a presença do Primeiro Ministro António Costa.
Para que a vinda do novo aeroporto para Montijo, contribua para um grande desenvolvimento da cidade e do concelho é preciso que além dos investimentos em infra-estruturas rodoviárias e no aeroporto dentro da Base Aérea se estude também os investimentos nos barcos e no cais do Seixalinho.
Têm que ser barcos modernos, panorâmicos, rápidos e com qualidade, para fazerem o percurso em 15 minutos e serem competitivos em preço e qualidade com o transporte rodoviário. E que tornem agradável o percurso dos turistas que atravessarem o Rio em direcção a Lisboa.
A rapidez e a qualidade do transporte fluvial de Montijo para Lisboa pode contribuir em muito para o progresso da nossa Terra. E por isso que todos temos que nos bater.
O concelho de Montijo é um vasto território que tem todas as condições para que aqui se construam muitos hotéis. Temos uma zona urbana e uma grande zona rural com potencialidades turísticas. Em Lisboa os terrenos estão caríssimos e mesmo assim nos próximos dois anos vão ser construidos vinte e três hotéis.
O ano de 2016 foi um bom ano para a hotelaria do concelho de Montijo, tiveram mais de 40.000 dormidas, um crescimento de mais de 30% em relação ao ano anteriror.
Este ano já foram adquiridos dois terrenos para hotéis: um na Avenida Garcia da Orta com projecto aprovado e outro na Avenida D. Afonso Henriques, junto ao parque municipal de Montijo.

Deixe uma resposta