Setubalenses lançam projectos musicais independentes de Rap e R&B

5
16
visualizações

Ricardo Duarte, artista, Orlando Fernandes, produtor musical e Fernando Cruz, manager, batalham diariamente por fazer nova e melhor música, daquela que “não se ouve em Portugal”, garantem

 

- Pub -

Um álbum dentro dos géneros Trap e Rap e um projecto musical mais dedicado ao R&B, marcado por uma nova forma de fazer música, são estes os projectos da autoria de Ricardo Duarte, Orlando Fernandes e Fernando Cruz que prometem agitar o panorama musical setubalense.

Primeiro surgiu a ideia de “criar um projecto a partir de uma personagem, o “Unknown”, um alter-ego meu”, conta Ricardo Duarte ao DIÁRIO DA REGIÃO.

“Unknown”, um projecto marcadamente Trap (sub-género do Hip Hop), Rap e Hip Hop, culminou num álbum de dez músicas, “The Wild One”, com letras que “transmitem sentimentos de revolta” e algumas delas “muito interventivas, politica e socialmente”.

Com voz e letras da autoria de Ricardo Duarte, 25 anos, o álbum foi produzido pelo produtor musical Orlando Fernandes (Dejavu), graças a uma cedência da RW Studios, localizados em Setúbal. “Faltam-nos meios técnicos e financeiros. Temos feito mix tapes, e ganho experiência assim, mostrando às pessoas o que fazemos”, conta Ricardo.

A primeira experiência, conseguida não sem algumas falhas, deu balanço à equipa WMT (Wild Mind Team), composta pelos três amigos, para fazer mais e melhor na recente aposta musical com assinatura Rick D, de Ricardo Duarte.

Trata-se de um projecto do género R&B, “mais electrónico e mais cantado”, já com quatro músicas “muito bem produzidas e tecnicamente superiores face às produções do projecto ‘Unknown’”. O artista não tem dúvidas de que é algo “inovador, nunca visto em Portugal”. E explica porquê: “É R&B feito com uma visão mais psicadélica e robótica da música”, inspirado no que já se faz no estrangeiro.

Ricardo Duarte admite que as influências artísticas do que se faz lá foram existem – e para que se perceba melhor o género musical do seu novo projecto, dá como referências as músicas de The Weeknd e PartyNextDoor –, mas logo garante que todos estão empenhados em ser o mais originais possível.

“Nós somos os melhores em Portugal, porque cá ninguém está a produzir música como nós, com esta qualidade e a esta velocidade. Vamos continuar a fazer o nosso trabalho em estúdio, ouvindo novos beats, escrevendo novas letras, criando novos flows na masterização e equalização”, assegura.

Já as dificuldades e ausência de apoios à criação musical e cultural, assim como a falta de reconhecimento público das iniciativas jovens, não escapam às críticas. “Em Portugal somos os únicos a fazer isto”, reforça, apesar de tudo.

O álbum “Unknown” está disponível na plataforma digital SoundCloud para download gratuito e o projecto Rick D está em andamento, com presença nas redes sociais e uma primeira música, “Alfa”, lançada este mês no YouTube.

Foto: D.R.
- Pub -

5 COMENTÁRIOS

  1. boa qualidade bom som mas tipo meus manos isso ai qualqer um faz liricas de 5 linhas de caderno qualqer um faz… expressem-se mais qero ouvir mais liricas liricas de 2 folhas nao 5 linhas repetidas em toda a musica de resto ta um bom projecto mas se fossem po estudio comigo tinham qe ter mais lirica do qe isso…. mas continuem assim estao num bom caminho

  2. Lembro-me do Nando e do Ricardo ha uns bons anos atras, num concerto casting. Cheios de talento. O Nando a apaixonar-se pelo piano e a inventar melodias. Voces tem tudo para serem o que quiserem, mas não deviam dizer tao alto que são os únicos a fazer qualquer coisa. A animação esta gira, mas conseguiam fazer melhor em relação ao conteúdo. A letra e muito reduzida e por isso a palavra leader torna-se demasiado repetitiva. Onde posso ouvir outras musicas? Desejo-vos o maior sucesso.

Queremos saber a sua opinião.